icons.title signature.placeholder Enviado especial
icons.title signature.placeholder Enviado especial
26/08/2015
21:24

O fanático torcedor do Ceará, que amarga a penúltima colocação da Série B, viveu uma semana de ansiedade à espera da chance de fazer história após ver seu time sair em vantagem nas oitavas de final da Copa do Brasil. Mas bastaram apenas quatro minutos para o São Paulo acabar com o sonho e fazer do Castelão um castelinho de areia, na noite desta quarta-feira, em Fortaleza. O Tricolor chutou o fantasma da queda para longe e com a vitória por 3 a 0 e mantém vivo o sonho do título inédito – o rival das quartas de final ainda será definido por sorteio.

O pesadelo do mandante Ceará, cuja torcida fez bonita festa, aconteceu dos 41 aos 44 minutos do primeiro tempo. Wellington Carvalho foi expulso por falta dura em Pato e Sanchez fez pênalti em Carlinhos, convertido por Rogério Ceni. O 1 a 0 ainda não era suficiente para o Tricolor, mas a vaga, nestas circunstâncias, virou questão de tempo.

Veio no segundo tempo em dois belos gols. Aos 10, com Thiago Mendes chutando de fora da área e aos 30, com Pato aproveitando bom cruzamento de Bruno para estudar as redes. Era o alívio para quem viveu uma semana em que tudo aconteceu e poderia ter acontecido, inclusive a saída do técnico Juan Carlos Osorio.


A classificação, aliás, dá fôlego ao colombiano e valoriza seu trabalho. Menos pelo resultado, mais pelo acerto de suas convicções. Foi Pato pela esquerda, como joga desde que Osorio chegou, que cavou a expulsão. Foi Carlinhos pela ponta direita, como tem sido criticado injustamente, que cavou o pênalti que permitiu a Rogério Ceni voltar em grande estilo, marcando seu gol de número 131 na carreira - com uma contratura na coxa direita, ele tinha ficado fora dos três últimos jogos do time, coincidência ou não, três derrotas.

Foram os pontas de Osorio, dos quais ele não abre mão, que furaram a barreira novamente bem montada pelo técnico Marcelo Cabo, do Vovô. Como no Morumbi, a equipe cearense se defendeu com dez quando tinha dez em campo. E tentava mais um golzinho nas escapadas de Siloé, que substituiu Rafael Costa, o herói do jogo de ida, com os dois gols da vitória por 2 a 1.

O São Paulo volta de Fortaleza com gás novo, mas com a esperada certeza de que não fez mais que a obrigação. Importante mesmo é os dirigentes saberem que críticas por mensagens no celular e outras atitudes baixas contra Osorio só vão contribuir para o castelo que está sendo construíndo pelo técnico seja de areia.

Já o Ceará volta suas forças para tentar se salvar do rebaixamento para a Série C. O Vovô precisa estar ciente de que aquele torcedor que deixou o Castelão quando Pato marcou o terceiro gol está ferido e quer poder voltar a sonhar alto.

FICHA TÉCNICA:
CEARÁ 0 X 3 SÃO PAULO

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Data/Hora: 26/8/2015 – 19h30
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB)
Auxiliares: Clovis Amaral da Silva (PE) e Filipe Gonçalves Correa (PB)

Renda/Público: R$ 1.287.676,00 / 41.020 pagantes
Cartões Amarelos: Carlão, Siloé, Tiago Cametá e João Marcos (CEA); Michel Bastos, Thiago Mendes e Reinaldo (SAO)
Cartões Vermelhos: Wellington Carvalho (CEA)
GOLS: Rogério Ceni, 45'/1ºT (0-1); Thiago Mendes, 10'/2ºT (0-2); Alexandre Pato, 30'/2ºT (0-3)

CEARÁ: Luís Carlos; Wellington Carvalho, Charles e Gilvan (Sandro, 21'/2ºT); Tiago Cametá, Carlão, João Marcos, Wescley (Julio Cesar, 29'/2ºT) e Sánchez; Fabinho e Siloé (Rafael Costa, 22'/2ºT). Técnico: Marcelo Cabo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Bruno, Rodrigo Caio, Luiz Eduardo e Reinaldo (Matheus Reis, 32'/2ºT); Thiago Mendes, Michel Bastos (Wesley, 21'/2ºT) e PH Ganso; Carlinhos, Alexandre Pato e Wilder Guisao (Hudson, 13'/2ºT). Técnico: Juan Carlos Osorio

O fanático torcedor do Ceará, que amarga a penúltima colocação da Série B, viveu uma semana de ansiedade à espera da chance de fazer história após ver seu time sair em vantagem nas oitavas de final da Copa do Brasil. Mas bastaram apenas quatro minutos para o São Paulo acabar com o sonho e fazer do Castelão um castelinho de areia, na noite desta quarta-feira, em Fortaleza. O Tricolor chutou o fantasma da queda para longe e com a vitória por 3 a 0 e mantém vivo o sonho do título inédito – o rival das quartas de final ainda será definido por sorteio.

O pesadelo do mandante Ceará, cuja torcida fez bonita festa, aconteceu dos 41 aos 44 minutos do primeiro tempo. Wellington Carvalho foi expulso por falta dura em Pato e Sanchez fez pênalti em Carlinhos, convertido por Rogério Ceni. O 1 a 0 ainda não era suficiente para o Tricolor, mas a vaga, nestas circunstâncias, virou questão de tempo.

Veio no segundo tempo em dois belos gols. Aos 10, com Thiago Mendes chutando de fora da área e aos 30, com Pato aproveitando bom cruzamento de Bruno para estudar as redes. Era o alívio para quem viveu uma semana em que tudo aconteceu e poderia ter acontecido, inclusive a saída do técnico Juan Carlos Osorio.


A classificação, aliás, dá fôlego ao colombiano e valoriza seu trabalho. Menos pelo resultado, mais pelo acerto de suas convicções. Foi Pato pela esquerda, como joga desde que Osorio chegou, que cavou a expulsão. Foi Carlinhos pela ponta direita, como tem sido criticado injustamente, que cavou o pênalti que permitiu a Rogério Ceni voltar em grande estilo, marcando seu gol de número 131 na carreira - com uma contratura na coxa direita, ele tinha ficado fora dos três últimos jogos do time, coincidência ou não, três derrotas.

Foram os pontas de Osorio, dos quais ele não abre mão, que furaram a barreira novamente bem montada pelo técnico Marcelo Cabo, do Vovô. Como no Morumbi, a equipe cearense se defendeu com dez quando tinha dez em campo. E tentava mais um golzinho nas escapadas de Siloé, que substituiu Rafael Costa, o herói do jogo de ida, com os dois gols da vitória por 2 a 1.

O São Paulo volta de Fortaleza com gás novo, mas com a esperada certeza de que não fez mais que a obrigação. Importante mesmo é os dirigentes saberem que críticas por mensagens no celular e outras atitudes baixas contra Osorio só vão contribuir para o castelo que está sendo construíndo pelo técnico seja de areia.

Já o Ceará volta suas forças para tentar se salvar do rebaixamento para a Série C. O Vovô precisa estar ciente de que aquele torcedor que deixou o Castelão quando Pato marcou o terceiro gol está ferido e quer poder voltar a sonhar alto.

FICHA TÉCNICA:
CEARÁ 0 X 3 SÃO PAULO

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Data/Hora: 26/8/2015 – 19h30
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB)
Auxiliares: Clovis Amaral da Silva (PE) e Filipe Gonçalves Correa (PB)

Renda/Público: R$ 1.287.676,00 / 41.020 pagantes
Cartões Amarelos: Carlão, Siloé, Tiago Cametá e João Marcos (CEA); Michel Bastos, Thiago Mendes e Reinaldo (SAO)
Cartões Vermelhos: Wellington Carvalho (CEA)
GOLS: Rogério Ceni, 45'/1ºT (0-1); Thiago Mendes, 10'/2ºT (0-2); Alexandre Pato, 30'/2ºT (0-3)

CEARÁ: Luís Carlos; Wellington Carvalho, Charles e Gilvan (Sandro, 21'/2ºT); Tiago Cametá, Carlão, João Marcos, Wescley (Julio Cesar, 29'/2ºT) e Sánchez; Fabinho e Siloé (Rafael Costa, 22'/2ºT). Técnico: Marcelo Cabo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Bruno, Rodrigo Caio, Luiz Eduardo e Reinaldo (Matheus Reis, 32'/2ºT); Thiago Mendes, Michel Bastos (Wesley, 21'/2ºT) e PH Ganso; Carlinhos, Alexandre Pato e Wilder Guisao (Hudson, 13'/2ºT). Técnico: Juan Carlos Osorio