icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/08/2015
19:42

Rogério Ceni ainda não tem presença assegurada no duelo desta quarta-feira, contra o Ceará, em Fortaleza, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Em recuperação de uma contratura no músculo adutor da coxa direita, o capitão disse na chegada ao local da partida que tentará de tudo para estar em campo.

- Tenho feito, em matéria de tratamento, passado os dias completos no CT. Agora não é fácil se colocar à disposição para o jogo, mas entendi na reunião que o Osorio expôs o pensamento dele para o grupo todo, que era necessário vir até aqui, e tentar até o último minuto, e é isso que vou fazer - declarou o capitão.

- Treinei ontem (segunda) e hoje (terça). Não que eu faça diferença tecnicamwente, mas acho importante num momento como esse, fora que não puderam vir, como Luis Fabiano, Breno, quem poderia estar aqui, é importante para superar um momento difícil - completou o goleiro.

Ceni se machucou na partida contra o Figueirense, vitória por 2 a 1 em Florianópolis, há duas semanas. Desde então, ficou fora dos últimos três jogos, três derrotas sofridas pelo São Paulo para Goiás, Ceará e Flamengo. O goleiro acha que o mau desempenho na sua saída foi coincidência.

- Coincidência. Jogamos segundo jogo fora de casa com uma derrota no Morumbi, não era o programado e esperado mas agora é uma chance de o time reverter. Se foi dificil no Morumbi, imaginamos muito mais aqui. Mas a vida é feita de oportunidades - analisou o capitão.

Como precaução pela situação de Rogério, o São Paulo levou três goleiros para Fortaleza. Além de Renan Ribeiro, substituto imediato do Mito, Leonardo também viajou com o grupo. Independentemente de estar em campo ou não, Ceni considera essa uma grande oportunidade para o Tricolor se recolocar nos trilhos.

- Se não me engano o São Paulo nunca reverteu uma situação dessas, perdendo e depois jogando fora. Temos uma oportunidade bacana, jogar contra o torcedor. Lá, o Ceará de certa forma foi merecedor, mas que a gente continue a fazer um jogo daquele, com 22 finalizações, 25, para poder ter chances novamente - disse.

Rogério Ceni ainda não tem presença assegurada no duelo desta quarta-feira, contra o Ceará, em Fortaleza, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Em recuperação de uma contratura no músculo adutor da coxa direita, o capitão disse na chegada ao local da partida que tentará de tudo para estar em campo.

- Tenho feito, em matéria de tratamento, passado os dias completos no CT. Agora não é fácil se colocar à disposição para o jogo, mas entendi na reunião que o Osorio expôs o pensamento dele para o grupo todo, que era necessário vir até aqui, e tentar até o último minuto, e é isso que vou fazer - declarou o capitão.

- Treinei ontem (segunda) e hoje (terça). Não que eu faça diferença tecnicamwente, mas acho importante num momento como esse, fora que não puderam vir, como Luis Fabiano, Breno, quem poderia estar aqui, é importante para superar um momento difícil - completou o goleiro.

Ceni se machucou na partida contra o Figueirense, vitória por 2 a 1 em Florianópolis, há duas semanas. Desde então, ficou fora dos últimos três jogos, três derrotas sofridas pelo São Paulo para Goiás, Ceará e Flamengo. O goleiro acha que o mau desempenho na sua saída foi coincidência.

- Coincidência. Jogamos segundo jogo fora de casa com uma derrota no Morumbi, não era o programado e esperado mas agora é uma chance de o time reverter. Se foi dificil no Morumbi, imaginamos muito mais aqui. Mas a vida é feita de oportunidades - analisou o capitão.

Como precaução pela situação de Rogério, o São Paulo levou três goleiros para Fortaleza. Além de Renan Ribeiro, substituto imediato do Mito, Leonardo também viajou com o grupo. Independentemente de estar em campo ou não, Ceni considera essa uma grande oportunidade para o Tricolor se recolocar nos trilhos.

- Se não me engano o São Paulo nunca reverteu uma situação dessas, perdendo e depois jogando fora. Temos uma oportunidade bacana, jogar contra o torcedor. Lá, o Ceará de certa forma foi merecedor, mas que a gente continue a fazer um jogo daquele, com 22 finalizações, 25, para poder ter chances novamente - disse.