Bruno Grossi
11/06/2016
07:30
São Paulo (SP)

Edgardo Bauza pode até pensar que “meio a zero” soma os mesmos três pontos do que uma goleada no Campeonato Brasileiro. Mas o fato é que o São Paulo tem sentido falta da precisão de seu artilheiro na temporada. E é por isso que o retorno de Calleri ao time titular, às 21h deste sábado, contra o Atlético-PR, é tão aguardado no Morumbi.

ARTILHEIROS 2016:
​Calleri - 12 gols
PH Ganso - 7 gols
Michel Bastos - 5 gols
Thiago Mendes - 3 gols
Rogério - 3 gols

– Mesmo fora das partidas, acompanhei o time. Meus companheiros fizeram um grande trabalho e os números mostram isso, porque estamos próximos da liderança. Temos dez pontos, o primeiro colocado tem 13. Então isso mostra que temos condições de brigar pela ponta da tabela. Estou com muita vontade para tentar ajudar e jogar novamente – destacou o argentino, ao site do clube.

Rodrigo Caio - 2 gols
Kelvin - 2 gols
Centurión - 2 gols
Maicon - 2 gols
Alan Kardec - 1 gol

Jony participou de apenas uma rodada das seis já disputadas no Brasileirão. No período, o time paulista marcou somente cinco gols, todos com autores diferentes. Uma artilharia democrática na Série A foi a solução diante da ausência por quatro partidas – por lesão e viagem à Europa para tirar passaporte italiano – e do jejum de gols de Calleri. O camisa 12 não marca desde 21 de abril, quando garantiu o 1 a 1 com o The Strongest (BOL) em La Paz e a vaga do time nas oitavas de final da Copa Libertadores da América.

Hudson - 1 gol
João Schmidt - 1 gol
Lucas Fernandes - 1 gol
Lugano - 1 gol
Ytalo - 1 gol

– Tive que resolver algumas questões pessoais, mas isso já tinha sido combinado com a diretoria e comissão técnica desde a minha contratação. Agora estou com muita gana para jogar outra vez e tentar ajudar a equipe. Quero muito poder atuar no Morumbi de novo e rever a torcida, que sempre nos apoia. Estou motivado e com vontade, porque nossa equipe vive grande momento e todo atleta quer fazer parte – exaltou.

Na prática, a seca de gols de Calleri dura somente quatro partidas – três na Libertadores e uma no Brasileirão –, mas já foi suficiente para enfraquecer o monopólio de gols no São Paulo. Jony agora é responsável por pouco mais de 25% dos tentos do Tricolor em 2016, marca que já foi de mais de 30%. E a lista de artilheiros da equipe no temporada, que contava somente com 11 jogadores, passou a ter 15 integrantes.