Libertadores - São Paulo x Trujillanos (foto:Mauro Horita/LANCE!Press)

Calleri bate um dos pênaltis do jogo desta terça-feia no Morumbi (foto:Mauro Horita/LANCE!Press)

Bruno Grossi
06/04/2016
00:44
São Paulo (SP)

Vencer por 6 a 0 já é algo para ser comemorado por qualquer clube, mas o triunfo do São Paulo sobre o Trujillanos (VEN) nesta terça-feira carregou muito mais ingredientes. No Morumbi, os quase 19 mil tricolores que confiaram na equipe de Edgardo Bauza puderam presenciaram quebras de recordes e de tabus. E podem agradecer a Jonathan Calleri por isso.

Jony, que não marcava dois jogos, foi às redes quatro vezes no confronto da quarta rodada do Grupo 1 da Copa Libertadores da América. Esta foi a primeira vez que um atleta são-paulino atingiu tal número de gols em um só jogo no torneio internacional, quebrando marcas de Pedro Rocha, contra o Jorge Wilstermann, em 1974, e Palhinha, em 1994, contra o San José - curiosamente, os dois rivais eram bolivianos. Foi também a primeira vez que um argentino fez o que os hermanos chamam de "poker" por um time brasileiro.

- Não, não sabia desta marca, mas o mais importante foi a vitória. Fizemos um primeiro tempo ótimo, com o time muito mais rápido, e conseguimos definir a partida. A torcida precisa torcer por nós. O River (Plate, que encara o The Strongest nesta quarta-feira) é outra história e ainda os enfrentaremos aqui no Morumbi - destacou o artilheiro, sobre o outro confronto do Grupo 1 - os argentinos têm os mesmos cinco pontos do São Paulo.

Também contra duas equipes da Bolívia eram as antigas maiores goleadas do Tricolor na Libertadores. O show de Pedro Rocha contra o Wilstermann terminou em 5 a 0, mesmo placar do passeio sobre o Bolívar na fase preliminar em 2013. Os 6 a 0 desta terça-feira ainda quebraram um jejum de nove anos sem que o São Paulo ganhasse por tal margem de gols.

O último 6 a 0 aconteceu no segundo turno do Campeonato Brasileiro de 2007, quando Aloísio Chulapa (2), Dagoberto, Souza e Leandro marcaram no Morumbi. Já em 2014, um 6 a 3 foi registrado contra o Rio Claro, no Paulistão. Por fim, o triunfo sobre o Trujillanos garantiu aos são-paulinos o recorde de vitórias na Libertadores entre equipes brasileiras. Os paulistas lideram com 87 triunfos, um a mais do que o Cruzeiro - em jogos, 173 a 148.