Calleri - Sao Paulo

Atacante argentino de 22 anos chegou ao Brasil na noite da última segunda-feira (Foto: Bruno Grossi)

Bruno Grossi
26/01/2016
18:44
São Paulo (SP)

Não deve ser nesta terça-feira que o São Paulo anunciará a contratação do argentino Jonathan Calleri. O atacante até foi ao CT da Barra Funda pela manhã para ser avaliado pelo departamento médico do Tricolor, mas o anúncio do empréstimo de seis meses foi adiado por atraso no envio de documentos do Deportivo Maldonado (URU) para confirmar a liberação do atleta.

Sem os papéis do clube uruguaio, que comprou Jony do Boca Juniors (ARG) por mais de R$ 42 milhões há duas semanas, o Tricolor não pôde colher a assinatura de seu quarto reforço na temporada. A ideia era resolver todas as pendências ainda nesta terça para apresentar o argentino antes da estreia do clube no Campeonato Paulista - às 19h30 de sábado, contra o Red Bull Brasil.

O entrave burocrático é semelhante ao que envolveu o centroavante Kieza recentemente. O São Paulo, assim como no caso de Calleri, já falava abertamente sobre o acerto com o jogador, mas só pôde anunciá-lo e apresentá-lo depois de quase uma semana de espera por documentos enviados pelos chineses do Shangai Shenxin.

Calleri chegou ao Brasil na noite da última segunda-feira, em voo que chegou de Buenos Aires por volta das 21h30 no Aeroporto de Guarulhos. O jogador de 22 anos passou pelo saguão do desembarque quase uma hora mais tarde e atendeu à imprensa rapidamente. O atacante estava acompanhado da mãe e mais duas pessoas e embarcou em van reservada pelo São Paulo.

Um dos acompanhantes de Calleri é justamente quem o auxilou nas tratativas com o São Paulo. Apesar de ser agenciado pelo pai, Guillermo Calleri, o argentino teve a ajuda do empresário Adrian Ruocco, que foi indicado pelo amigo Carlos Tévez para resolver a saída do Boca, a transferência para a Internazionale (ITA) e o empréstimo ao São Paulo.