Centurion - Sao Paulo

Centurión tem sido titular do São Paulo com Patón (Foto: Eduardo Viana/Lancepress!)

LANCE!
02/03/2016
08:05
São Paulo (SP)

Edgardo Bauza não desiste de seu compatriota Ricardo Centurión. Apesar da torcida já ter perdido a paciência com o camisa 20, o treinador argentino segue bancando o meia-atacante e o projeta como titular do time quando ele repetir as atuações que fizeram o São Paulo comprá-lo no ano passado. Antes de chegar ao Brasil, Centurión era o camisa 10 do Racing (ARG) e marcou o gol do título argentino em 2014. Na última terça-feira, fez um bom segundo tempo contra o Mogi Mirim no Pacaembu e recebeu elogios.

- Se ele está bem, é um atleta que pode oferecer ao time ao que ofereceu hoje (terça-feira), no centro, pelo lado, quase marca gol. Mas, por razões que não vem ao caso agora, leva tempo, porque passa pela confiança, por muitas coisas, ainda não está bem. Mas se ele recupera o nível futebolístico que teve quando chegou, vai ajudar nossa equipe para que funcione melhor. Foi a melhor partida que jogou, mas pode dar mais. E estando bem, sempre vai começar as partidas, porque me agrada seu nível de jogo - afirmou Patón.

Centurión tem sido muito criticado este ano com atuações abaixo da média. Ele joga sempre aberto pela direita e vinha disputando posição com Rogério, xodó da torcida e autor de um dos gols na vitória sobre o Mogi. No entanto, após a partida o técnico argentino disse que o camisa 17 não é desequilibrante jogando pelos lados e deu a entender que ele só será escalado no meio, em função parecida à de Ganso. Problema é que o jogador disse não gostar de atuar por ali...

Ainda sobre Centurión, o treinador argentino já gostava do futebol do meia-atacante na época que dirigia o San Lorenzo e até pediu sua contratação. No São Paulo, o camisa 20 tem sido titular na maioria dos jogos em 2016, embora ainda não tenha marcado nenhum gol.

Centurión sofreu com problema de adaptação no São Paulo e teve um problema de saúde na família no ano passado. Ele custou
cerca de R$ 14 milhões ao clube e assinou contrato de quatro temporadas.