icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
21/08/2015
00:48

Juan Carlos Osorio, técnico do São Paulo, optou por eximir os jogadores de culpa pela derrota de 2 a 1 para o Ceará na noite desta quarta-feira, no Morumbi. O revés deixa o Tricolor em desvantagem no duelo das oitavas de final da Copa do Brasil.

- Honestamente, estou muito orgulhoso de meus jogadores, porque é muito difícil jogar com a defesa tão para frente como nós, contra times que jogam por uma bola. Em qualquer parte do mundo, há times que recuam e jogam dessa forma. No Brasil é o mesmo - afirmou o treinador colombiano, após a partida.

- E qualquer time em outra liga, quando você contra um time que recua, se esse time sai na frente, é muito difícil conceder outra transição jogando tão à frente. Então vamos melhorar. Thiago Mendes foi muito importante nessa nova posição (volante), creio que quando jogarmos, fazermos o primeiro gol, vamos ter um jogo muito diferente para nós - completou.

Assim como já tinha acontecido na derrota por 3 a 0 para o Goiás, no último sábado, Osorio assumiu a responsabilidade pela noite infeliz no Morumbi. O Ceará chegou a abrir 2 a 0, com gols de Rafael Costa, mas Pato diminuiu.

- Sempre tenho esse costume. Assumo as derrotas, porque é normal, coloco os jogadores em cada escalação. Então assumo, mas sabíamos do Ceará, que não tinha 9 jogadores por jogar em outros times, creio que não surpreenderam com isso. Qualquer time que joga com três zagueiros, é para jogar com três atacantes aberto contra, e fizemos. Criamos suficientes jogadas de gol, mas não concretizamos - analisou Osorio.

O treinador também defendeu alguns atletas da ira da torcida. Novamente, parte dos fãs xingaram jogadores como Ganso, Toloi, que ficou no banco de reservas, e até Michel Bastos, que até pouco tempo atrás era um dos destaques do time.

- Com o time falo de ordem direta, e vou falar da bola parada. Mas que a torcida pega em certos jogadores é muito difícil para eu entender isso, porque se essa situação é pelo jogo de hoje, não concordo, creio que é injusto, como foi contra o Goiás com Toloi. Mas se isso é acumulação de muitos jogos, então para mim é muito difícil entender - afirmou Osorio.

Juan Carlos Osorio, técnico do São Paulo, optou por eximir os jogadores de culpa pela derrota de 2 a 1 para o Ceará na noite desta quarta-feira, no Morumbi. O revés deixa o Tricolor em desvantagem no duelo das oitavas de final da Copa do Brasil.

- Honestamente, estou muito orgulhoso de meus jogadores, porque é muito difícil jogar com a defesa tão para frente como nós, contra times que jogam por uma bola. Em qualquer parte do mundo, há times que recuam e jogam dessa forma. No Brasil é o mesmo - afirmou o treinador colombiano, após a partida.

- E qualquer time em outra liga, quando você contra um time que recua, se esse time sai na frente, é muito difícil conceder outra transição jogando tão à frente. Então vamos melhorar. Thiago Mendes foi muito importante nessa nova posição (volante), creio que quando jogarmos, fazermos o primeiro gol, vamos ter um jogo muito diferente para nós - completou.

Assim como já tinha acontecido na derrota por 3 a 0 para o Goiás, no último sábado, Osorio assumiu a responsabilidade pela noite infeliz no Morumbi. O Ceará chegou a abrir 2 a 0, com gols de Rafael Costa, mas Pato diminuiu.

- Sempre tenho esse costume. Assumo as derrotas, porque é normal, coloco os jogadores em cada escalação. Então assumo, mas sabíamos do Ceará, que não tinha 9 jogadores por jogar em outros times, creio que não surpreenderam com isso. Qualquer time que joga com três zagueiros, é para jogar com três atacantes aberto contra, e fizemos. Criamos suficientes jogadas de gol, mas não concretizamos - analisou Osorio.

O treinador também defendeu alguns atletas da ira da torcida. Novamente, parte dos fãs xingaram jogadores como Ganso, Toloi, que ficou no banco de reservas, e até Michel Bastos, que até pouco tempo atrás era um dos destaques do time.

- Com o time falo de ordem direta, e vou falar da bola parada. Mas que a torcida pega em certos jogadores é muito difícil para eu entender isso, porque se essa situação é pelo jogo de hoje, não concordo, creio que é injusto, como foi contra o Goiás com Toloi. Mas se isso é acumulação de muitos jogos, então para mim é muito difícil entender - afirmou Osorio.