Marcioi Porto e William Correia
19/08/2017
05:30
São Paulo (SP)

Uma defesa que precisa se recuperar contra um ataque defasado, de ineficiência assustadora. Para o São Paulo, é como a fome com a vontade de comer. É esse o cenário que a equipe de Dorival Júnior terá neste domingo contra o Avaí. Na Ressacada, o técnico colocará à prova os ajustes defensivos que fez durante toda a semana justamente contra a equipe que menos marcou gols no Campeonato Brasileiro.

Em 20 jogos, o Avaí de Claudinei Oliveira marcou apenas 11 gols. A média é praticamente de um gol a cada duas partidas. São seis gols a menos do que o lanterna Atlético-GO. O resultado não poderia ser muito diferente: o clube catarinense ocupa a 18ª colocação com 21 pontos, e briga diretamente contra o São Paulo contra o rebaixamento - o Tricolor é o 16º com 22 pontos.

Desde que chegou, Dorival Júnior tem tentado encontrar o equilíbrio da equipe e nos últimos dias tem insistido nos ajustes defensivos. Com o técnico, o São Paulo disputou oito jogos e sofreu 14 gols. Preocupa ainda mais o técnico erros no setor, que têm sido recorrentes. Preocupado, tomou algumas decisões.

A mais drástica foi trocar o goleiro: sai Renan Ribeiro, que tinha disputado todos os jogos do campeonato, entra Sidão, que não joga há cinco meses. Dorival também insistirá com Edimar, e não Júnior Tavares, na lateral esquerda. O primeiro é melhor defensivamente. Manteve o miolo de zaga com Arboleda e Rodrigo Caio. E inverteu as posições de Jucilei e Petros. Esse último passará a jogar mais recuado, à frente da área.

Nos treinos da semana, foi nítido o enfoque de Dorival à defesa. Nesta sexta, ficou a atividade praticamente inteira treinando recomposição e bolas paradas. Ele quer povoar a frente da área e as linhas da zaga e do meio mais próximas possíveis. Exigiu velocidade na volta para marcar, inclusive cobrando os atacantes. O discurso geral é de que o time precisa  melhorar atrás para conseguir os pontos preciosos que farão sair da zona da degola. 

- Para cada partida, você imagina uma estratégia, tenta fazer com que as cosias deem certo. Não vou falar disso nesse instante, deixo para a partida. Espero aproveitar as condições apresentadas nos 90 minutos. Às vezes, você espera uma reação do adversário e acontece outra. Você precisa estar preparado para desenvolver o que treinou, mas também para mudança rápida de comportamento para uma eventualidade e, também, surpreender o adversário - analisou Dorival Júnior.

Avaí e São Paulo se enfrentam neste domingo às 16h na Ressacada. .