Russel Dias
09/06/2016
06:00
Santos (SP)

Além de lucrar R$ 17 milhões, o Santos ganhou uma garantia para o futuro com a venda de Geuvânio: a preferência em repatriar o atacante, que está na China. Ao vender o jogador para o Tianjin Quanjian, o Peixe incluiu no contrato a cláusula de preferência no Brasil, o que significa que, caso retorne e receba proposta de outro clube, o estafe do atleta deve mostrar a oferta ao Alvinegro, que é obrigado a responder se vai ou não cobrir os números apresentados.

Recentemente, o Tianjin Quanjian demitiu o técnico Vanderlei Luxemburgo, responsável por levar Geuvânio, Jadson e Luis Fabiano à Ásia. No entanto, a saída desses jogadores não será imediata, devido ao alto investimento.

Os chineses pagaram 11 milhões de euros (R$ 48 milhões) para ter o atacante. O Santos lucrou R$ 17 milhões pois tinha apenas 35% dos direitos econômicos.

O Tianjin contratou para a vaga de Luxemburgo o italiano Fábio Cannavaro, ex-zagueiro do Real Madrid (ESP) e da seleção italiana.

Revelado no próprio Peixe, Geuvânio deixou a Vila Belmiro com 127 jogos e 40 gols marcados.

Em sua despedida, ele se emocionou e deixou claro que espera voltar a defender o clube no futuro. A diretoria santista no entanto, não espera fazer uma investida, já que contratou reforços para a posição.