Renato - Santos

Renato esteve presente em todos os jogos do Santos neste Brasileirão (Foto: Ivan Storti/Lancepress!)

LANCE!
15/11/2016
15:56
Santos (SP)

Quanto mais velho o jogador, menor sua frequência em jogos na temporada. Essa é a trajetória normal no mundo do futebol. Mas para um jogador em especial, as coisas tomaram um caminho inverso.

Mesmo aos 37 anos, o volante Renato é o único jogador do Santos a disputar todas as 34 rodadas do Brasileirão. O camisa 8 supera até mesmo o goleiro Vanderlei, que foi desfalque em uma partida por conta de expulsão diante do América-MG. O experiente volante do Peixe destaca o feito e credita sua presença nos jogos à pré-temporada feita em janeiro.

- Sempre falei sobre a pré-temporada. Ano passado foi o primeiro ano que eu consegui fazer uma boa, nos outros anos ficava duas semanas pro Estadual, e a preparação física é prejudicada. Passando dos 30, é preciso cuidado maior e eu tenho desde que voltei do Sevilla. Pré-temporada é base de tudo. É em virtude dela e do preventivo que eu faço antes dos treinamentos que eu joguei todas no campeonato. É também escolha do Dorival, eu evito estar fora principalmente pelos cartões, é um número baixo três cartões, é normal desfalcar. Então procuro estar sempre à disposição para ajudar. Mas se eu tiver que ficar fora, eu incentivo. É opção do treinador. Fico feliz por jogar todas - disse, em entrevista coletiva.

Com contrato válido até o fim da próxima temporada, Renato ainda não pensa em aposentadoria e admite que já existe um pré-acordo para renovação por mais um ano. Mesmo assim, ele mantém cautela quanto à permanência no clube por conta das eleições marcadas para o fim de 2017.

- Tenho contrato até dezembro (de 2017). A todo ano procuro sentar com a família, nunca tomo decisão sozinho. Me sinto bem, tenho prorrogação já para 2018, é uma coisa que eu quero. Não vou querer pendurar as chuteiras. Vou querer prorrogar, mas depende também do Santos. É ano de eleição, não sei quem vai estar. Espero que Dorival esteja. Quando treinador tem sequência as coisas acontecem. Quero ajudar o Santos por mais um ano e depois vamos ver com a família sobre a decisão.