icons.title signature.placeholder Léo Saueia
icons.title signature.placeholder Léo Saueia
28/08/2015
06:27

Invicto há nove rodadas, classificado para as quartas de final da Copa do Brasil depois de dominar o Corinthians e agora até sonhando com G4 do BR-15... Dorival Júnior deu nova vida ao Santos. Desde que assumiu o comando da equipe, porém, o técnico pouco mexeu na escalação e na estrutura tática desenhada por Marcelo Fernandes.

Para que a “revolução” no futebol santista fosse possível e se tornasse realidade, Dorival escolheu seus pilares do novo time. Encostado com Marcelo, o lateral Zeca quase acertou com o futebol dos EUA, mas ganhou a titularidade logo na estreia do comandante. Gustavo Henrique, que há tempos vinha pedindo passagem na vaga do contestado Werley, também tornou-se inquestionável. Já Thiago Maia, que vinha substituindo o lesionado Renato, desbancou Lucas Otávio e virou o novo xodó da torcida com apenas 18 anos.

Com a mesma formação tática de Marcelo Fernandes, que já não encontrava formas de resgatar a equipe que flertava fortemente com a zona do rebaixamento no Nacional, Dorival evoluiu o sistema de jogo do Peixe, a começar pela marcação.

Logo em sua primeira entrevista coletiva como treinador do clube, o técnico campeão paulista e da Copa do Brasil de 2010 diagnosticou que o principal defeito da equipe estava no combate. Aos poucos, seus três “pupilos” tomaram conta da situação e hoje fazem do setor defensivo do Peixe uma de suas principais virtudes.

Com praticamente as mesmas peças que Marcelo Fernandes tinha no elenco, Dorival Júnior resgatou a confiança de um grupo que parecia se perder a cada gol sofrido, a cada falha coletiva. Se ao assumir o Santos o foco era a fuga da temida zona da confusão, hoje a briga pelo título da Copa do Brasil é uma realidade. E até uma chegada ao G4 do Brasileirão é um sonho. Distante, mas possível. Seis pontos separam o Peixe do Fluminense, a 18 rodadas do fim.

Um dos pilares deste novo Santos, o jovem lateral Zeca revelou surpresa com a escolha do treinador e avaliou o bom momento do time.

– Quando o Dorival chegou, estávamos da zona do rebaixamento. Com as vitórias, estamos subindo. Temos o objetivo de ganhar a Copa e bater no G4 no Brasileiro. Para mim foi uma grande surpresa. O treinador me deu a oportunidade e estou aproveitando – revelou o atleta.

A boa fase é uma realidade!

Os três 'pupilos' de Dorival no Santos:

O trio faz parte dos homens de confiança do comandante (FOTO: Divulgação)

Gustavo Henrique: Assumiu a condição de titular na vaga de Werley e não deixou mais os onze preferidos do treinador do Peixe. Diferencial foi destaque nas disputas pelo alto.

Zeca: Com passaporte emitido e tudo acertado para se transferir para os EUA, o jovem lateral foi 'resgatado' por Dorival Júnior em seu primeiro treino e assumiu o posto de dono da posição logo na estreia do comandante, na vitória sobre o Figueirense.

Thiago Maia: Contou com as lesões de Alison, Valencia e Renato para começar a figurar no time ainda com Marcelo Fernandes. Com a chegada de Dorival, ganhou a disputa com Lucas Otávio e com o improvisado Paulo Ricardo e ainda tornou-se xodó da torcida.

Invicto há nove rodadas, classificado para as quartas de final da Copa do Brasil depois de dominar o Corinthians e agora até sonhando com G4 do BR-15... Dorival Júnior deu nova vida ao Santos. Desde que assumiu o comando da equipe, porém, o técnico pouco mexeu na escalação e na estrutura tática desenhada por Marcelo Fernandes.

Para que a “revolução” no futebol santista fosse possível e se tornasse realidade, Dorival escolheu seus pilares do novo time. Encostado com Marcelo, o lateral Zeca quase acertou com o futebol dos EUA, mas ganhou a titularidade logo na estreia do comandante. Gustavo Henrique, que há tempos vinha pedindo passagem na vaga do contestado Werley, também tornou-se inquestionável. Já Thiago Maia, que vinha substituindo o lesionado Renato, desbancou Lucas Otávio e virou o novo xodó da torcida com apenas 18 anos.

Com a mesma formação tática de Marcelo Fernandes, que já não encontrava formas de resgatar a equipe que flertava fortemente com a zona do rebaixamento no Nacional, Dorival evoluiu o sistema de jogo do Peixe, a começar pela marcação.

Logo em sua primeira entrevista coletiva como treinador do clube, o técnico campeão paulista e da Copa do Brasil de 2010 diagnosticou que o principal defeito da equipe estava no combate. Aos poucos, seus três “pupilos” tomaram conta da situação e hoje fazem do setor defensivo do Peixe uma de suas principais virtudes.

Com praticamente as mesmas peças que Marcelo Fernandes tinha no elenco, Dorival Júnior resgatou a confiança de um grupo que parecia se perder a cada gol sofrido, a cada falha coletiva. Se ao assumir o Santos o foco era a fuga da temida zona da confusão, hoje a briga pelo título da Copa do Brasil é uma realidade. E até uma chegada ao G4 do Brasileirão é um sonho. Distante, mas possível. Seis pontos separam o Peixe do Fluminense, a 18 rodadas do fim.

Um dos pilares deste novo Santos, o jovem lateral Zeca revelou surpresa com a escolha do treinador e avaliou o bom momento do time.

– Quando o Dorival chegou, estávamos da zona do rebaixamento. Com as vitórias, estamos subindo. Temos o objetivo de ganhar a Copa e bater no G4 no Brasileiro. Para mim foi uma grande surpresa. O treinador me deu a oportunidade e estou aproveitando – revelou o atleta.

A boa fase é uma realidade!

Os três 'pupilos' de Dorival no Santos:

O trio faz parte dos homens de confiança do comandante (FOTO: Divulgação)

Gustavo Henrique: Assumiu a condição de titular na vaga de Werley e não deixou mais os onze preferidos do treinador do Peixe. Diferencial foi destaque nas disputas pelo alto.

Zeca: Com passaporte emitido e tudo acertado para se transferir para os EUA, o jovem lateral foi 'resgatado' por Dorival Júnior em seu primeiro treino e assumiu o posto de dono da posição logo na estreia do comandante, na vitória sobre o Figueirense.

Thiago Maia: Contou com as lesões de Alison, Valencia e Renato para começar a figurar no time ainda com Marcelo Fernandes. Com a chegada de Dorival, ganhou a disputa com Lucas Otávio e com o improvisado Paulo Ricardo e ainda tornou-se xodó da torcida.