Russel Dias
13/09/2017
13:40
Enviado especial a Guayaquil (ECU)

A ida de Neymar ao PSG, da França, foi oficializada no dia 3 de agosto e apenas mais de um mês depois o Santos teve a certeza de que vai receber os R$ 33 milhões que tem como clube formador do atacante. Na última semana, os franceses responderam um e-mail à diretoria do Santos afirmando que o montante será depositado em breve, sem um prazo definido.

Segundo o presidente Modesto Roma Júnior, em entrevista no Equador, onde o Santos enfrenta o Barcelona de Guayaquil pela Libertadores, nesta quarta-feira, o dinheiro será usado para conter despesas do clube, que vive um momento financeiro de dificuldades.

- Ainda não recebemos o dinheiro, mas devemos receber brevemente. Foi mandada a fatura pelo PSG, eles já se pronunciaram que vão honrar o compromisso. Dinheiro não tem carimbo. Mas vocês não podem esquecer que o Santos está em uma fase de recuperação financeira e isso é muito importante. Temos um orçamento a cumprir. No ano passado vendemos dois jogadores, neste ano só vendemos um. Normalmente, se vende um jogador na janela de janeiro e outro na de julho e agosto. É o trâmite normal na atual situação do futebol brasileiro - explicou o dirigente.

O valor de R$ 33 milhões é calculado com base no mecanismo de solidariedade referente ao período que Neymar passou no Peixe, clube que o revelou, e é equivalente a 4% dos R$ 823 milhões (222 milhões de euros), dinheiro pago pelo PSG para quebrar o contrato do atacante com o Barcelona, da Espanha.

Ainda sobre a mudança de clube de Neymar na Europa, o Santos espera mais R$ 16 milhões (4,5 milhões de euros) do Barcelona. Esta quantia é referente a uma das cláusulas de contrato entre os dois clubes quando foi acertada a saída do jogador do Brasil para a Espanha em 2013. 

O Barcelona deveria realizar dois amistosos com o Alvinegro até o fim do contrato de Neymar com os catalães. No entanto, só um aconteceu, em 2013, quando o Peixe foi goleado por 8 a 0. Como o segundo não ocorreu a tempo, os espanhóis deverão desembolsar 4,5 milhões de euros.