Dorival Júnior completa marca histórica à frente do Santos

Dorival Júnior é o décimo técnico que mais esteve à frente do Santos (FOTO: Ivan Storti/SANTOS FC)

Léo Saueia
26/03/2016
07:40
São Paulo (SP)

Se o estilo de jogo do Santos mudou e o time vem recebendo elogios por buscar ao máximo a manutenção da posse de bola, o técnico Dorival Júnior não parece disposto a revelar seu segredo.

Apostando em treinos fechados, o comandante santista tenta evitar que as jogadas trabalhadas sejam de conhecimento dos adversários. No ano passado, um lance na partida diante do Grêmio, pelo Brasileirão, irritou bastante o treinador do Peixe. Na ocasião, Dorival Júnior se queixou de que os gremistas já sabiam previamente como seria cobrada uma falta por conta de filmagens produzidas e divulgadas pela mídia.

Entre dois e três treinos fechados à imprensa durante a semana, Dorival tem dado ênfase a jogadas ensaiadas para confundir os rivais, principalmente de bola parada.

De acordo com membros da comissão técnica do Santos, os próprios jogadores às vezes pedem para que os trabalhos aconteçam sem a presença de jornalistas, para que eles tenham maior privacidade e até mesmo liberdade para fazer ajustes.

Por enquanto, a receita de Dorival no Peixe tem dado certo e trazido frutos à equipe. Na partida contra o XV de Piracicaba, aliás, o gol santista saiu através de uma dessas jogadas, com escanteio cobrado de forma curta, lance trabalhado com bastante frequência dentro do CT Rei Pelé. 

Antes reconhecido como um time fatal no contra-ataque porém frágil defensivamente, o Santos tratou de mudar essa imagem para 2016. Treinando exaustivamente para ser o "dono da bola" durante os jogos, o Peixe tenta evitar que o rival chegue à meta de Vanderlei e tenha a chance de criar mais oportunidades de gol.

A posse de bola é considerada por Dorival também como uma arma defensiva, e sua equipe está há quatro jogos sem sofrer gols, maior sequência com o técnico incluindo sua primeira passagem pelo clube.

Se a maioria dos clubes aposta em treinos fechados às vésperas de grandes jogos ou em momento de crise, o Santos de Dorival se especializa em fazer mistério durante a semana de treinos e esconder dos rivais eventuais "truques de mágica".

Para o bem do santista, que o "segredo" siga guardado a sete chaves.