Ponte Preta x Santos

Time protestou com mensagem na camisa (Foto: Ivan Storti / Santos FC)

LANCE!
18/11/2016
16:35
Santos (SP)

O protesto contra a mudança repentina da data do jogo contra a Ponte Preta custou caro ao Santos. Denunciado no STJD, o presidente Modesto Roma Júnior foi enquadrado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que implica em assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras do Código.

A pena foi de 15 dias de suspensão para o dirigente e R$ 3 mil em multa para o clube, que entrou na partida contra a Macaca com a mensagem "faltou respeito".

O protesto ocorreu devido à mudança da data da partida, que aconteceria no sábado e foi alterada na sexta-feira à noite para que ocorresse no domingo.

- O futebol moderno não tem mais espaço para esse tipo de atitude. Há canais específicos para esse tipo de reclamação. A Comissão de arbitragem faz uma análise minuciosa após cada partida. Uma reclamação com intuito apenas de denegrir a imagem não deve ser aceita. A entrada da equipe do Santos com os dizeres na camisa e segundo a entrevista do presidente confirmando o intuito de crítica e desrespeito - disse o sub-procurador geral Gustavo Silveira.

De acordo com o Estatuto do Torcedor, uma partida não pode ter local alterado com menos de 48 horas de antecedência.

A mudança por parte da CBF foi motivada por um pedido da Polícia Militar de Campinas, que no mesmo dia da partida se preparava para conter uma possível festa de torcedores do Guarani, que disputava o título da Série C. Na ocasião, o Boa Esporte, de Minas Gerais, acabou campeão e não houve comemoração dos bugrinos.