Ledesma, do Santos

Ledesma e o ex-preparador físico do clube Carlito Macedo durante treino em 2015 (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Gabriel Carneiro
07/01/2016
08:00
São Paulo (SP)

Ledesma sai do Santos sem deixar saudades na torcida, mas o gasto do clube para tê-lo em quatro partidas jamais terá retorno. Contratado no fim de agosto de 2015 e liberado para entrar em campo em outubro, depois de uma preparação especial, o argentino naturalizado italiano jogou apenas 234 minutos com a camisa alvinegra, contra Goiás (acionado aos 30 do segundo tempo), Figueirense (titular, substituído aos 39 do segundo tempo), Coritiba (titular, jogou os 90 minutos) e Vasco (titular, substituído no intervalo) no Campeonato Brasileiro do ano passado.

Entre gastos de viagem, inscrição, comissões e salários, o Peixe investiu cerca de R$ 1 milhão no reforço, que vinha de nove temporadas na Lazio, da Itália, onde não renovou no fim da última temporada européia.

Ledesma foi elogiado por Dorival logo que anunciado e chegou dizendo que sonhava em disputar a Libertadores – aos 33 anos, e sem custos para tirá-lo do futebol italiano, o Santos via o jogador como reforço ideal para a disputa do torneio continental neste ano. Porém, o camisa 24 só jogou quatro partidas, pediu liberação antes do último jogo do ano e, para completar, o Santos não conseguiu vaga na Libertadores e só terá Paulistão, Copa do Brasil e Brasileirão em 2016.

Ledesma hoje negocia com um clube da Segunda Divisão da Argentina e alguns  modestos da Itália, e não tem prazo para definir seu futuro.