Ricardo Oliveira

Atacante do Santos já disputou 98 partidas com a camisa do Peixe (Foto: Alan Morici)

Léo Saueia e Russel Dias
18/02/2016
08:00
São Paulo e Santos (SP)

Capitão do Santos e um dos destaques da equipe comandada por Dorival Júnior, o centroavante Ricardo Oliveira está perto de alcançar uma marca histórica tanto para o Peixe quanto para si próprio.

Em duas passagens pela Baixada, o camisa 9 já soma 98 partidas disputadas pelo clube e está a dois jogos de alcançar a façanha centenária. 

E tal feito não poderia ser alcançado por outro clube. Apesar de ter defendido as cores do rival São Paulo, Ricardo Oliveira afirma ser identificado com o Santos até por "pressão" de seu filho, torcedor santista.

- Quando estava nos Emirados Árabes, o tema da festa do meu filho foi o Santos. E eu vesti a camisa do Santos. Isso mostra que tem uma identidade e um carinho pela instituição, que contribuiu muito para minha carreira profissional. Acho que agora é inevitável que não tenha essa paixão - disse o camisa 9, em entrevista ao LANCE!.

E para comemorar a marca de cem jogos pelo clube que o acolheu após muitos anos longe do Brasil, Ricardo Oliveira já estipula uma nova meta: chegar também a cem gols marcados com a camisa do Peixe. 

Nos 98 jogos disputados desde a primeira passagem, em 2003, o centroavante já soma 60 gols. Apesar de certa distância e com quase 36 anos, Ricardo Oliveira mantém a meta.

- Dá para chegar (risos), é um objetivo meu, com certeza. Sou fascinado por gols, essa é a minha função e sou cobrado por isso. Está no sangue! Número 9 tem que fazer gol, e modéstia à parte sei fazer gols. Com certeza chegar a cem é um objetivo e está na minha cabeça sim - revelou.

Próximo de se tornar pai pela terceira vez, o atacante do Santos e da Seleção Brasileira recorda seu retorno à Vila Belmiro e garante já ter o kit santista preparado no berço para receber o artilheiro mirim.
- Quando vim para cá, abri mão de muita coisa porque queria provar meu valor, dar alegria ao meu filho, e o Santos me proporcionou tudo isso. Agora meu filho que está para nascer já está com toda a roupa do Santos preparada. Não tenho problema nenhum em dizer que é um time que tem lugar no meu coração, na minha família - admitiu.

Com ou sem os cem gols, o artilheiro também já tem lugar no coração de qualquer outro santista.

Confira um bate-bola exclusivo com o centroavante santista:

Qual a importância de atingir a marca de cem jogos por um clube?
Esse meu retorno trouxe uma identificação muito grande com o Santos. Aquela primeira passagem foi muito rápido, e logo em seis meses fui para a Europa. O Santos que me proporcionou isso daí, fui artilheiro da Libertadores e os jogos que joguei fui artilheiro do time. Isso criou um vínculo muito grande com o Santos. Quando eu volto e vejo que tem como criar uma identidade com o clube, para mim isso foi fantástico, maravilhoso. Estar chegando perto do centésimo jogo com a camisa do Santos é um troféu muito importante, porque é a primeira vez que chego a uma marca dessas com um clube.

E o que espera que venha junto com esta marca centenária?
Espero que sejam marcas com peso de importância, de títulos, gols. Acho que isso é muito importante, para mim principalmente, que almejo atingir uma marca maior. Tive a felicidade de entrar para entregar troféus para vários companheiros, inclusive alguns não estão nem mais aqui. Pude felicitar o Dorival que tem uma identidade com o clube, aí eu chego próximo disso (cem jogos) também. Isso tem um peso muito significativo.

Trocaria o Santos hoje por algum outro clube no Brasil?
Não estou dizendo que não vai, mas eu acredito que não, porque já atingi meus objetivos na carreira, já criei uma identificação com o clube, estou indo para 36 anos e não tenho intenção de trocar o Santos por outro clube no Brasil. Se tivesse que acontecer, seria logo após o Paulista, quando apareceram até rivais interessados. Se tem alguma coisa que aprendi desde cedo é ser grato ao Santos por tudo o que fez por mim. Vim, estava sem clube, o Santos abriu as portas e correspondi. Estou feliz.

Confira o desempenho do Pastor por outros clubes:

Portuguesa
Pelo clube que o revelou, Ricardo Oliveira disputou 48 jogos e anotou 23 gols

Valencia (ESP)
Lá, marcou dez gols em 33 jogos

Betis (ESP)
Realizou 70 jogos pelo clube e marcou em 38 oportunidades

Milan (ITA)
Em sua breve passagem pelo clube italiano, foram 33 jogos disputados e apenas quatro gols marcados

Zaragoza (ESP)
Foram 61 jogos disputados e 30 gols marcados antes de retornar ao São Paulo

São Paulo
Em 51 partidas realizadas pelo rival Tricolor, marcou 21 gols somando as duas passagens

Al Jazira (EAU)
Nos Emirados Árabes, marcou expressivos 91 gols em 120 jogos disputados

Al Wasl (EAU)

Foram 12 jogos e apenas quatro gols em 2014