Robinho - Santos

Robinho deixou o Santos pela última vez na metade de 2015 (Foto: Ricardo Saibun / Santos FC)

Léo Saueia e Russel Dias
12/02/2016
06:55
São Paulo e Santos (SP)

O clima é de tristeza na Vila Belmiro. O sentimento de dirigentes e de torcedores é uma mistura de decepções. Uma com o fracasso de uma negociação que já durava meses e outra de ver pela primeira vez Robinho com a camisa de outro clube brasileiro. Ele acertou com o Atlético-MG.

Nos bastidores, o Peixe não via falhas em sua estratégia para trazer um de seus maiores ídolos pela terceira vez. O presidente Modesto Roma Júnior havia fechado uma parceria com empresa brasileira que pagaria R$ 400 mil dos R$ 600 mil mensais ao atacante, em troca de exploração de imagem.

O problema é que não houve acordo entre jogador e parceiro, pois o estafe de Robinho não concordava em dar carta branca para a empresa usar a imagem do atleta como quisesse, sem consulta prévia.

Dado este cenário, o clube não titubeou ao abrir mão da negociação e anunciar a desistência em seu site oficial, na manhã de ontem. O Santos manteve sua política: não ultrapassar os R$ 200 mil de salário.

No Atlético-MG, apesar de contar com uma parceira, a fornecedora de material esportivo Dry World, o Rei do Drible ganhará mais e será aliado a uma marca mantida em sigilo. 

Como Santos e Robinho sempre voltam a discutir a relação e cogitam reatar, nem mesmo o contrato de dois anos em Minas Gerais é taxativo a ponto de cravar que o ex-camisa 7 nunca mais volte ao clube que o revelou em 2002, onde foi bicampeão brasileiro e vice da Libertadores.

Em seu comunicado, o Peixe foi claro e sem demonstrar mágoas.

"Apesar do desejo de repatriar seu ídolo pela terceira vez, o clube não conseguiu atingir as pedidas do atacante e desta forma mantém a nova política de teto salarial implantada pela diretoria. O Santos deseja ao Robinho o sucesso que sempre teve na sequência de sua carreira e sempre estará de portas abertas para seus ídolos", escreveu o Alvinegro.

Antes de sair, ele não havia prometido exclusividade ao Santos no Brasil. Como toda história de amor, onde também há brigas, arrependimentos e lembranças, Robinho continuará marcado na história do Santos, mas agora com capítulo à parte.