Ledesma, do Santos

Ledesma e o preparador físico do Santos, Carlito Macedo, durante treino no CT Rei Pelé (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Russel Dias e Gabriel Carneiro
13/11/2015
17:11
São Paulo (SP)

O volante Cristian Ledesma defende o Santos desde o início de setembro e já entrou em campo duas vezes, ambas pelo Campeonato Brasileiro. Na maioria das vezes de fora, viu dois companheiros de time, Lucas Lima e Ricardo Oliveira, se destacarem a ponto de virarem titulares da Seleção Brasileira sob o comando de Dunga. Nesta sexta-feira, em jogo adiado das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, ele prefere não torcer para ninguém na partida do Monumental de Núñez: nem para o time de seus parceiros de clube e nem para o time do país onde nasceu, há 33 anos.

- Sou argentino, mas é um jogo muito difícil, porque os dois times precisam de três pontos para sair da classificação baixa nas Eliminatórias. Seguramente é um jogo muito difícil, porque o Brasil tem Neymar de volta e a Argentina não tem Aguero, Messi. Mesmo assim são sempre times de grande qualidade - comentou, ao LANCE!, o volante do Santos, antes de completar com seu palpite.

- Eu gosto de futebol, gosto do jogo, é difícil dar um prognóstico. Mas meu palpite é Argentina, porque tme Higuaín, que na seleção atravessa um momento difícil, mas no Napoli vai bem. E também tem Dí Maria - enumerou.

Apesar de ter nascido na Argentina e atuado nas categorias de base do Boca Juniors, Ledesma jamais jogou futebol profissional em seu país. Cedo, ele foi negociado para o Lecce, da Itália, e de lá para a Lazio, onde se tornou ídolo e atuou por nove temporadas. No fim da temporada 2014/2015, em razão de problemas físicos e da pouca sequência de jogos, o volante foi liberado para acertar com o Santos, com quem firmou um vínculo de dois anos.

Apesar do sucesso na Europa, Ledesma também não atuou pela seleção da Argentina. Em 2010, ele optou por se naturalizar italiano e defendeu o país europeu em uma partida amistosa em novembro de 2010.