santos x palmeiras, vanderlei

Vanderlei defendeu um pênalti contra o Palmeiras na final da Copa do Brasil (Foto: Ivan Storti)

Russel Dias
23/04/2016
10:00
Santos (SP)

Quartas de final. Jogo único. Palmeiras. Essa combinação de palavras faz o Santos ligar o alerta para o que decidiu as duas competições em que chegou na final no ano passado: pênaltis. Foi nas cobranças alternadas que o Peixe faturou o Paulistão e também como perdeu a Copa do Brasil. Agora, para reencontrar o Alviverde em nova decisão, dessa vez a semifinal do Paulistão, que será no domingo, às 16h, na Vila Belmiro, as batidas a 11 metros do gol estão na ponta da chuteira.

Segundo o técnico Dorival Júnior, a possibilidade de definir o clássico nos pênaltis foi alertada no CT Rei Pelé no último mês. O que fez com que o time intensificasse as cobranças nos treinamentos.

- Isso vem sendo alertado há um mês. Não vai ser em dois, três dias que nós iremos nos definir como cobradores ou não de penalidades. Eles (jogadores) têm consciência disso. Cada um se prepara de uma maneira. Tem jogador que não gosta de bater e chega na hora e bate e tem jogador que tem ótimo aproveitamento e compromete. É natural que busquemos repetições para que a confiança seja um pouco maior - explicou Dorival.

Ultimamente, o treinador pede que os portões do CT Rei Pelé sejam fechados à imprensa na maioria dos trabalhos técnicos. Porém, quando os jornalistas têm a entrada liberada, o que se pode ver são titulares e reservas batendo pênaltis, inclusive com revezamento de goleiros.

Na final do Paulistão do ano passado, o Santos converteu todas as cobranças e contou com dois desperdícios do Palmeiras. Já na final da Copa do Brasil, Marquinhos Gabriel e Gustavo Henrique perderam, sendo que o primeiro chutou para fora e o zagueiro parou em Fernando Prass. Já Vanderlei pegou uma cobrança.