Léo Saueia
10/09/2016
08:00
São Paulo (SP)

Quem não gosta de jogar um clássico? Expectativa de casa cheia, rivalidade, discussões com os adversários... Desfalcado e com ambiente pesado após nova derrota, o Santos contraria esse clichê e talvez encaixe o clássico deste domingo com o Corinthians como o último Item de sua lista de desejos.

O revés da última quinta-feira para o Inter repercute ainda no clube (veja mais ao lado) e acendeu sinal de alerta, já que o Peixe enfrenta três derrotas consecutivas no Brasileiro.

O ambiente, aliás, se assemelha àquele encontrado ainda no primeiro turno quando o Peixe foi derrotado pelo... Internacional! Quem era o próximo adversário? O Corinthians.

Na ocasião, o Alvinegro vinha de sequência de 29 jogos invicto na Vila Belmiro, mas não soube suportar a ausência de seu trio formado por Lucas Lima, Gabigol e Ricardo Oliveira e acabou derrotado pelo Colorado.

Em seguida, Dorival Júnior montou esquema inusitado para encarar o Timão em Itaquera e foi novamente derrotado, levando o clube para perto da zona do rebaixamento. Agora, o Santos sofre do mesmo "fantasma". 

Novamente sem Lucas Lima e Ricardo Oliveira - suspensos - e com Gabigol vendido à Inter de Milão (ITA), o Peixe tenta superar o ambiente adverso e conquistar os três pontos sobre o Corinthians, na Vila.

A Vila, aliás, é a grande aliada na missão de seguir sonhando com uma vaga entre os quatro primeiros colocados, já que o Peixe goleou o Atlético-MG mesmo desfalcado.

A turbulência no CT Rei Pelé ficou exposta logo após o jogo, quando todos os jogadores deixaram o Beira-Rio criticando duramente a arbitragem de Rodrigo Raposo (DF). O temor é de que a pressão se junte aos numerosos desfalques e resulte em mais uma derrota no campeonato.

Publicamente, o Santos ainda não joga a toalha ao menos por uma vaga no G4. O técnico Dorival Júnior almeja uma vitória neste domingo para "não abrir mão do torneio".

- No ano passado, estávamos com a mesma pontuação. Nós não vamos abrir mão do campeonato - resumiu, em poucas palavras.

Buscando a vitória a todo custo, o Santos tenta evitar crise interna em um momento decisivo de 2016.