Russel Dias
16/07/2016
20:27
Santos (SP)

Dificilmente a vitória do Santos sobre a Ponte Preta por 3 a 1, na noite deste sábado, pode ser definida em um só sentimento ou palavra. Na Vila Belmiro, alguns olhavam para Zeca, Thiago Maia e Gabigol com uma espécie de saudade antecipada, já que o trio se despediu do Peixe para ir à Olimpíada na segunda-feira.

Com relação a Ricardo Oliveira, a saudade tinha um outro sentido. O camisa 9 voltou dois meses após ter uma inflamação no joelho. Para Lucas Lima e Gabigol, quem olhou diferente foi um olheiro do Barcelona, Roberto Fernandez.

Mas quem mexeu no placar estava chamando pouca atenção. Explorando o contra-ataque e os lançamentos da defesa, Ricardo Oliveira, em impedimento, sofreu falta na metade do segundo tempo. Para a bola foi Vitor Bueno, que acabou acertando a trave. No rebote, o lateral-direito Victor Ferraz, desacostumado a balançar as redes, acertou uma cabeçada que abriu vantagem de 1 a 0.

A Ponte Preta bem que tentou dar trabalho. Rhanyner se viu livre nas costas de Zeca e invadiu a área, mas parou em Gustavo Henrique. Ainda pelo lado direito, a pressão da Macaca se deu com Nino Paraíba e Pottker. O atacante obrigou Vanderlei a buscar a bola no canto.

Na etapa final, o Alvinegro se aproveitou do ímpeto da Ponte e esperou em seu campo de defesa. Era justamente esse espaço que Dorival Júnior queria que a Macaca ocupasse, para assim explorar ainda mais o contra-golpe pelos lados do campo.

Foi assim que Gabriel chegou na frente, enfiou para Ricardo Oliveira, que achou Vitor Bueno livre, sem goleiro, para aumentar a vantagem santista. Mas não parou. Pelo mesmo lado direito, Lucas Lima alçou na área e Gabigol aproveitou a confusão para fazer o terceiro e beijar o escudo do Santos.

O camisa 10, que vive momento conturbado e está entre renovar ou sair, beijou o gramado da Vila como sinal de amor ao clube em que foi revelado, mas não deu pistas sobre seu futuro.

No fim, quando a equipe campineira era mais perigosa, Roger achou espaço no meio da defesa santista e bateu cruzado para fazer o gol de honra. A vitória deixa o Santos com 26 pontos e firme no G4. A Ponte Preta permanece com 23 pontos.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 1 PONTE PRETA


Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data/horário: 16 de julho de 2016, sábado, às 18h30
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Assistentes: Gustavo Rodrigues de Oliveira e Bruno Salgado Rizo (SP)
Público/renda: 11.979 pagantes / R$ 363.360,00
Cartões amarelos: Willian Pottker (PON); Thiago Maia, Gabriel e Zeca (SAN)
Gols: Victor Ferraz 22'1ºT (1-0); Vitor Bueno 10'2ºT (2-0); Gabriel 26'2ºT (3-0); Roger 39'2ºT (3-1)

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Renato, Vitor Bueno e Lucas Lima (Elano 40'2ºT); Gabriel (Vechio 33'2ºT) e Ricardo Oliveira (Rodrigão 30'2ºT). Técnico: Dorival Júnior.

PONTE PRETA: João Carlos; Nino Paraíba, Fábio Ferreira, Douglas Grolli e Reinaldo; Wendel, Matheus Jesus (Felipe Menezes 1'2ºT) e Maycon; Rhayner e Clayson (Giva 29'2ºT); Willian Pottker (Roger 18'2ºT). Técnico: Eduardo Baptista.