Com brilho de Robinho, Santos derrota o Londrina (Foto: Ivan Storti/LANCE!Press)

Robinho foi campeão paulista com o Santos em 2015 (Foto: Ivan Storti/LANCE!Press)

Russel Dias 
09/01/2016
15:37
Santos (SP)

Depois do Santos conseguir um investidor para bancar mais da metade do salário de Robinho, o retorno do Rei do Drible à Vila Belmiro pela terceira vez está cada vez mais próximo. Neste sábado, o presidente santista Modesto Roma Júnior deu uma entrevista coletiva sobre o assunto e, embora tenha acordo com uma empresa parceira, o dirigente não admite que negócio está encaminhado. Por outro lado, Modesto trata o retorno do camisa 7 como um sonho e sequer viu necessidade de consultar o técnico Dorival Júnior.

- O Robinho está acima dessas coisas menores (opção do treinador). Ele não jogaria com o Lula (técnico do Santos na Era Pelé). Seria reserva do Dorval ou do Pepe. Mas Robinho joga no Santos com muita tranquilidade. Com jogadores diferenciados, não há necessidade de perguntar para o Dorival. É lógico que a gente conversa e é lógico que ele quer. Mas Robinho não precisa de aprovação - afirmou.

Ainda segundo o presidente do Peixe, um potencial investidor tem môtivos de sobra para pagar os R$ 5 milhões anuais a Robinho. As razões pelas quais os empresários se atraíram foram a exposição que o Rei do Drible terá no clube onde é ídolo e o impacto que a sua volta causará na torcida.

- O Robinho tem empatia com o Santos. Robinho é feliz no Santos. Quando o parceiro quer vender felicidade, precisa ter o Santos junto. É ídolo e titular. Sempre fez as melhores coisas da vida dele. Tem empatia com clube e torcida. Robinho precisa ser alegre para ser vendido. Santos é o local alegre do Robinho. O Santos é feliz com o Robinho - disse, emocionado.

Até o momento, o Santos fez um acordo em que pagará um salário de R$ 200 mil ao Rei do Drible (teto salarial do clube) e a empresa parceira será responsável por bancar R$ 400 mil dos vencimentos do atleta. Em troca, o jogador será uma espécie de garoto-propaganda da companhia.

Caso as duas partes entrem em acordo, o contrato deve ser assinado por dois anos.

Com negociação encaminhada, Robinho deve dar início à quarta passagem pela Vila Belmiro em 2016. Revelado pelo próprio clube em 2002, o Rei do Drible foi campeão brasileiro duas vezes antes da primeira saída, em 2005. Cinco anos depois, somadas passagens por Real Madrid e Manchester City, voltou ao Peixe para ser campeão paulista e da Copa do Brasil. Em seguida da Copa do Mundo de 2010, foi negociado com o Milan, da Itália, e deixou o Alvinegro.

A terceira passagem ocorreu em 2014, emprestado pelo próprio Milan, clube com o qual tinha apenas mais uma temporada de contrato. No meio do ano de contrato, o ídolo rescindiu com os italianos, mas preferiu não renovar com o Peixe. Ele foi para o Guangzhou Evergrande, da China, onde passou apenas seis meses em um contrato de R$ 6 milhões. Após o Mundial no qual jogou apenas dois dos quatro jogos do Guangzhou, decidiu não permanecer em 2016.