Serginho - Santos

Serginho garantiu empate ao Santos contra o Bahia com lindo gol de fora da área (Foto: Ricardo Saibun / Santos FC)

Russel Dias
25/01/2016
06:55
Santos (SP)

Serginho tinha apenas 11 anos quando o craque francês Zidane, ídolo de Juventus (ITA), Real Madrid (ESP) e seleção francesa, decidiu se aposentar dos gramados. Mas graças à internet e ao videogame, que dominam sua geração, o meia santista de 20 anos pôde conhecer o drible que era marca registrada do meio-campista: o giro sobre o marcador.

Foi com esse giro que o camisa 41 do Peixe fez um golaço, aos 46 minutos do amistoso contra o Bahia, no último sábado, que garantiu o empate ao Alvinegro e lhe tornou um dos assuntos mais comentados desde então.
Embalado pelo brasileiro Wendell Lira, que pelo Goianésia faturou o Prêmio Puskas (gol mais bonito do ano), Serginho não descarta posar ao lado de Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar na Fifa no ano que vem, mas por enquanto a prioridade é outra e bem diferente.

– Estou feliz pelo gol, se chegar ao Puskas eu vou ficar muito feliz, tem uma chance muito boa, mas vamos esperar. Na hora eu nem pensei direito, mas depois do jogo, saí correndo para ligar para o meu pai, Sergio, para dedicar para ele porque ele fez aniversário um dia antes – comentou o preocupado filho Serginho em entrevista ao LANCE!.


Além de aprimorar o giro de Zidane nos treinos, os chutes de longa distância tiveram outra inspiração, que veio do videogame...

– Eu fiquei brincando no videogame, me escolhi e fiquei dando chute de longe. Meu pai até brincou e falou que valeu a pena ter comprado “esse negócio” – recorda.

Enquanto o garoto vê e revê o gol na internet e na televisão, o técnico Dorival Júnior repassa a escalação e percebe que terá dor de cabeça para achar vagas no time. Mas esta dor de cabeça ninguém quer evitar.

BATE-BOLA COM SERGINHO, MEIA DO PEIXE, AO LANCE!

Para dar o drible do giro, você se inspirou no Zidane? Já havia feito essa jogada em alguma partida?


Eu sempre dei aquele giro, sempre treinei. Na base já cheguei a fazer o giro, mas sem o gol depois. É difícil, sim, eu treinei essa jogada no futsal, que eu jogava desde molequinho. Eu lembro de ter visto o Zidane fazer.

Como foi a repercussão após o gol para você? E o vestiário?

Ganhei muitos parabéns, falaram que foi bonito. Minha família falou comigo, amigos, e no vestiário o pessoal também brinca um pouco, é um momento muito legal.

Muitos jogadores na sua idade pensam em serem emprestados para ganharem experiência. Por que você pensa diferente?

O momento é para jogar no Santos, penso em ficar aqui. Tenho que mostrar para o Dorival que posso ajudar, ele sempre acreditou em mim e confia no meu potencial.

Na sua posição a concorrência é grande. Acha que terá mais chances depois de ter feito esse gol?

A concorrência vai ser sempre leal, porque além dos outros meias serem bons, nós nos respeitamos.

Você disse que se escolheu no videogame, para brincar. Então tirou o Lucas Lima do time?

Não! O Lucas Lima é o melhor jogador do Brasil, não pode sair nem no jogo!