Vanderlei - Santos

Vanderlei admite que disputa de domingo foi a mais inesquecível de sua carreira (Foto: Ivan Storti / Santos FC)

Russel Dias
26/04/2016
06:00
Santos (SP)

Dificilmente você verá Vanderlei estrelando uma das brincadeiras da Santos TV ou dando gargalhadas em entrevistas. Mas nada disso tem a ver com o goleiro do Santos ser antipático. Pelo contrário. Querido por jogadores e comissão técnica, o camisa 1 prefere isolar tudo que vem de fora do campo quando a bola rola. Até mesmo na hora de brilhar o goleiro não se destaca por frases impactantes, gestos ou gols marcados.

Porém, mesmo avesso aos holofotes, o arqueiro conseguiu deixar em Curitiba a idolatria com rótulo de salvador da pátria no Coxa. Muito disso tem a ver com a fama de pegador de pênaltis. Pelo Coritiba, ele defendeu 17 pênaltis, sendo que seis deles em dois jogos eliminatórios: três contra o Flamengo pela Copa do Brasil de 2014 e três contra o Vitória pela Copa Sul-Americana de 2013.

E parece ser com perigo de ter que resolver tudo em uma defesa que Vanderlei gosta de lidar.

– Isso valoriza o nosso trabalho. Nós goleiros somos solitários. Nessa disputa podemos aparecer. A intenção era ganhar no tempo normal, mas estávamos prontos para tudo. Felizmente deu tudo certo – disse o goleiro do Peixe ao LANCE!, um dia após ser herói do time, fazendo com que o Santos chegue à oitava final seguida do Campeonato Paulista.

Acostumado com a adrenalina das penalidades máximas, o candidato a ídolo do Alvinegro não hesita em escolher: a disputa de domingo foi a mais inesquecível e intensa que disputou em seus 32 anos.

– Foi bem marcante. Até pelo entorno do jogo. Tive duas outras disputas contra o Palmeiras, catimba. Alguns jogadores estavam dando risadas, com certeza de que iam passar, nós tivemos calma e nos concentramos – ressaltou o arqueiro.


– Acho que o Vanderlei vem fazendo campeonato muito sério. Fico satisfeito vendo o Vanderlei jogando com os pés e sendo decisivo com as mãos. Falei pra ele antes da disputa: você vai pegar três pênaltis – profetizou Dorival antes de Vanderlei brilhar na Vila Belmiro.
Quanto mais Vanderlei cresce na frente dos adversários a cada jogo, mas ele cresce na história do Santos para cada torcedor.

Vanderlei - Santos
Vanderlei foi às lágrimas após classificar o Santos (Foto: Ivan Storti)

Confira o bate-bola com Vanderlei:

‘Eu trabalho discretamente, sem provocar. É de cada um’

Os analistas de desempenho do Santos separam cobranças de pênalti dos adversários. Você assistiu antes das penalidades?

Colocamos em prática o que trabalhamos no dia a dia. Até tinha um material sobre as outras equipes, mas preferi decidir na hora, esperando o quanto pudesse o adversário bater e tive explosão. Saí em velocidade na hora da batida e deu certo.

O Dorival falou para você que defenderia três cobranças. Defendeu duas. Isso fez diferença?

Toda palavra de confiança faz diferença. Todos os companheiros incentivando. O Palmeiras estava com astral maior, mas estávamos concentrados. Tínhamos fé. Poderíamos sair dali classificados. Foi isso que aconteceu.

Você é discreto. É melhor ganhar sem falar, sem provocar?

É de cada um. Todos têm um jeito de trabalhar. Eu trabalho discretamente, sem provocar. Fizemos a festa entre nós mesmos. Passou a Copa do Brasil. O Mais importante foi nosso trabalho.