Léo Saueia
02/08/2016
06:05
São Paulo (SP)

No radar de diversos clubes europeus e atualmente a serviço da Seleção Brasileira durante a preparação para a disputa da Olimpíada, o atacante Gabigol aos poucos começa a traçar seu destino. A Internazionale (ITA) entrou com força para tentar contratar o jogador do Santos.

Com uma proposta em mãos da Juventus (ITA) de R$ 72 milhões, o atacante não se animou com os valores do negócio, já que só teria direito a apenas 2 milhões de euros (aproximadamente R$ 7,2 milhões), e ainda não se posicionou oficialmente.

Principal motivo para o atraso na definição, aliás, se deve à concorrência do outro grande clube italiano. A Inter de Milão já fez uma proposta aos representantes do jogador de 25 milhões de euros (cerca de R$ 91 milhões) e inclusive enviou um representante ao Brasil para tratar diretamente com o estafe do atleta.

Representante do clube italiano, Piero Ausilio se reuniu nesta segunda-feira com Wagner Ribeiro, empresário de Gabigol. No encontro, as partes já iniciaram até a discussão sobre salários que o jogador receberia no Velho Continente, e um acerto entre as partes é visto apenas como questão de tempo. 

Dos 25 milhões de euros oferecidos pela Inter de Milão, 18 deles (R$ 64,8 milhões) seriam destinados ao Santos por conta da cláusula de saída prevista em contrato, e os 7 milhões restantes (R$ 25,5 mi) iriam para a conta de Gabigol. Nesses moldes, jogador e seu pai, donos de 40% dos direitos econômicos, se interessam pelo negócio.

Sem pressa por parte da Inter e dos representantes de Gabigol, a oferta deve ser encaminhada ao Santos nos próximos dias. A tranquilidade no negócio se deve justamente à cláusula de saída, já que o Peixe não pode interferir nas tratativas caso recebe os 18 milhões de euros aos quais tem direito.

Ainda desconhecendo a negociação com a Inter de Milão, o Santos enviou nesta segunda um comunicado à Juventus dizendo que ainda aguarda posicionamento de Gabigol. Os italianos estipularam data para resposta da oferta até o dia primeiro de agosto, mas ignoraram o prazo a pedido do próprio atacante.