Evento da Sansung com o jogador Ganso (Foto: Eduardo Viana/ LANCE!Press)

'Gansonho': Meia pode voltar à Vila Belmiro na próxima temporada (Foto: Eduardo Viana/ LANCE!Press)

LANCE!
12/11/2015
08:30
Santos (SP)

O Santos deseja a contratação de Paulo Henrique Ganso para 2016 e já estuda a melhor maneira de conduzir a negociação com o meia revelado na Vila Belmiro e que defende o São Paulo desde 2012. Enquanto a diretoria trabalha para conseguir investidores que auxiliem na repatriação do ex-Menino da Vila, outros garotos do Peixe torcem pela contratação. O primeiro a mencionar o tema em sua entrevista coletiva foi Geuvânio, que conviveu pouco com Ganso no time profissional do Santos.

- Peguei só um pouco dele aqui no profissional, quando ele estava naquela época muito boa com Neymar. Mas todo mundo sabe da sua capacidade, jogador de Seleção, todo mundo sabe disso. Então, se der certo dele voltar aqui para o Santos, todo mundo vai receber ele de braços abertos. Aqui é um ambiente que ele conhece muito bem, ele se sente em casa e a gente está disposto a abraçar ele aqui - afirmou Geuvânio, que não prevê problemas de Ganso com a torcida do Santos em razão da saída conturbada em 2012.


- É difícil do jeito que ele saiu, né? Mas tudo é o tempo. Se der tempo para ele, ele vai conseguir a confiança do torcedor novamente. O que passou é passado. A gente tem que virar a página. Caso ele venha para cá, ele vai honrar a camisa do Santos como ele sempre fez. Então, a torcida tem que maneirar um pouco, porque se ele vir para o Santos ele vai dar conta do recado, como ele sempre deu. Então, a gente tem que receber ele de braços abertos e espero que a torcida também, caso ele venha, dê toda confiança para ele poder retomar o futebol que ele vinha fazendo - completou.

Ganso foi do elenco profissional do Santos entre 2008 e 2012, e conquistou pelo clube o  tri do Paulistão (2010/11/12), a Copa do Brasil (2010), a Libertadores (2011) e a  Recopa Sul-americana (2012). No fim de sua passagem, ele teve sérios desentendimentos com a antiga diretoria do clube, e acabou vendido por R$ 24 milhões ao São Paulo.