Gabigol - Santos

Gabigol espera dois jogos equilibrados diante do Audax, na final do Paulista (Foto: Ivan Storito / Santos FC)

LANCE!
27/04/2016
15:41
Santos (SP)

Apesar de ter duelo decisivo nesta quinta-feira diante do Santos-AP pela primeira fase da Copa do Brasil, o assunto que domina o dia a dia do Santos nesta semana é a final do Paulistão. O primeiro jogo da finalíssima acontece já neste domingo, no estádio José Liberatti, em Osasco.

Para o atacante Gabigol, os comandados do técnico Dorival Júnior já estão cientes das dificuldades que irão encontrar diante do ousado Audax. Entretanto, de acordo com o camisa 10, a marcação será fundamental, principalmente fora de casa.

- Estamos treinando bastante. É uma semana decisiva. Temos dois jogos, mas o primeiro é importante. Esperamos fazer dois grandes jogos. Tentar fazer um bom placar no primeiro, trabalhar bem a bola. Todo mundo sabe a característica dele. Temos de marcar muito bem e colocar nosso futebol em prática - receitou Gabigol, em entrevista coletiva no CT Rei Pelé.

Apesar das características e do toque de bola apurado do Audax, Gabigol não vê motivos para o Santos mudar sua maneira de jogar. Segundo o artilheiro da equipe no Paulistão, o Peixe precisa respeitar o adversário, mas não alterar sua filosofia.

- Acho que temos de jogar sempre do mesmo jeito, independentemente de onde jogue. Temos marcado bem e feito bastante gols. Acho que isso que importa. Os dois times que estão na final são os times que tocam melhor a bola, jogam diferente, procuram não dar chutão. Temos de respeitar, mas não mudar o jeito de jogar - disse. 

Mesmo após superar Ricardo Oliveira e se consolidar como artilheiro da equipe na temporada, o jovem atacante não se vê como um dos "pilares" do esquema de Dorival Júnior. Apesar de reconhecer sua responsabilidade na equipe, o Menino da Vila ainda diz ter muito a aprender.

- Não gosto de ficar me vangloriando. Meus números estão aí para vocês falarem, deixo para vocês comentarem isso. Tento aprender e melhorar cada dia mais. Sei da responsabilidade, mas não me sinto um pilar. Acho que todos são importantes - desconversou.