David Braz, zagueiro do Santos

David Braz foi campeão paulista pelo Santos em 2015 e quer repetir o feito (FOTO: Ivan Storti)

Léo Saueia e Russel Dias
16/04/2016
08:05
São Paulo e Santos (SP)

Poucos jogadores sofreram tanto quanto o torcedor do Santos nos últimos anos. David Braz com certeza é um deles. O zagueiro esteve presente quando o clube devia quatro meses de salários, quando perdeu a final do Paulista para o Ituano, ao ser desclassificado na semifinal da Copa do Brasil para o Cruzeiro e, principalmente, na final da Copa do Brasil do ano passado, perdida no Allianz Parque.

Neste último episódio, a dor deixou de ser interna e passou a ser física. Foi também no dia 2 de dezembro de 2015 que o camisa 14 do Peixe sofreu uma lesão muscular na coxa esquerda que o tirou do time até a semana passada, na 14 rodada.

Mas neste sábado, quando o Santos recebe o São Bento, às 18h30, na Vila Belmiro, David Braz jogará pelo terceiro ano consecutivo as quartas de final do Paulistão pelo Peixe. O objetivo é, depois de tanto sofrimento dele e da torcida, chegar à quarta final seguida. Se isso acontecer, ele será o único titular deste time a alcançar o feito.

- Todos ficaram tristes. O choro é natural. A tristeza fica por dentro e as lágrimas saem. A equipe estava com outro planejamento. As coisas não aconteceram aquele dia. Escorregão no pênalti. Faz parte do futebol. Vejo que em 2016 terá grandes possibilidades de títulos - conta o defensor em entrevista ao LANCE!, se referindo à final da Copa do Brasil do ano passado, vencida pelo Verdão. 

Passados os sofrimentos, ficam as lições. Lições essas que serviram para Braz tornar-se um dos líderes do elenco. Se em 2014 ele queria apagar a atuação diante da Penapolense, que por conta de suas falhas individuais quase custou a eliminação na semi do Paulistão, hoje essas "cicatrizes" servem como motivação.

- Estou com experiência boa, as negativas também fazem parte da nossa vida, nos ensina, nos ajuda a crescer como profissional, então no momento estou pronto para as decisões, espero que hoje (sábado) a gente consiga o objetivo de passar para a próxima fase. O Santos pode contar comigo que eu vou fazer de tudo para ajudar a chegar em mais uma semifinal - afirmou o zagueiro.

Se a técnica não funcionar, a motivação e insistência serão as armas do Santos de David Braz.

David Braz Neto está invicto na Vila Belmiro:

David Braz, zagueiro do Santos
David Braz está invicto na Vila Belmiro com a presença de seu filho no estádio (FOTO: Pedro Ernesto Guerra)

Se o zagueiro David Braz já tem confiança e motivos de sobra para entrar em campo hoje e ajudar o Santos a passar pelo São Bento e chegar em mais uma semifinal do Paulistão, o camisa 14 terá seu “amuleto” na arquibancada do estádio.

Seu filho, David Braz Neto, tem acompanhado os jogos do pai e dado sorte. Desde que a criança começou a frequentar a Vila Belmiro com a mãe, David Braz jamais saiu do estádio derrotado.

Hoje, para dar sorte, David Braz Neto certamente estará nas tribunas do Urbano Caldeira como pé-quente e amuleto do pai.

Confira um bate-bola exclusivo com David Braz:

Por que acha que tem tamanha identificação com o torcedor?
O torcedor sabe o quanto eu me dedico no dia a dia do clube. Todo mundo lembra quando o clube estava em um momento financeiro difícil, eu abri mão de entrar na Justiça contra o clube, confiei na diretoria que chegou, que queria resolver e cumpriu com isso. Foi o título do Paulista, onde muita gente não acreditava no nosso trabalho. Acho que a temporada toda que a gente fez, torcedor com certeza ficou feliz com a temporada, e eu vou procurar dar meu máximo para continuar honrando essa camisa que completa 104 anos de muita história.

Ganhar o Paulista poderia ser uma resposta ao vice da Copa do Brasil?
Então, a gente conversou sobre isso, perdemos um título que estava nas nossas mãos. Abrimos uma boa vantagem na Vila Belmiro e desperdiçamos no segundo jogo. Sabemos o que faltou para conquistar aquele título, e que nos ensina para as próximas oportunidades que vamos ter, as próximas decisões. Espero que a equipe esteja calejada com isso. A gente sempre procura conversar no dia a dia que as derrotas às vezes vêm para nos ensinar a conquistar o que vem pela frente. Hoje é o Paulista, objetivo é esse, de conquistar mais um, e depois os demais da temporada. Um passo de cada vez, e aprendemos bastante com a derrota de 2015.

Quando mais sofreu desde que chegou no Santos?
No dia da lesão. Eu não esperava. Era uma grande final em que tive outros sonhos. Sonhei em ajudar no título. Depois tive força para me recuperar bem para ter uma nova chance em 2016 de disputa de título.