LANCE!
02/06/2016
06:00
Santos (SP)

A segunda derrota consecutiva do Santos (perdeu para Internacional e Corinthians) acentuou alguns problemas vividos pelo clube. O mais destacado pelo técnico Dorival Júnior é a falta de planejamento. Segundo o treinador do Peixe, era de se esperar que a Seleção Brasileira desfalcaria o time, porém, contratações antecipadas não foram possíveis por causa de dificuldades financeiras.

- Não existe planejamento quando você não tem condições de investimento. Nosso nível de investimento até o Brasileirão foi de R$ 2 milhões de reais. Como planejar se não tem como investir? Mas depois disso tem Vecchio, teremos mais o Copete, que aí sim foi feito investimento em momento com possibilidade de investir. Planejar com dinheiro é uma coisa, e sem dinheiro é outra. Queríamos Marquinhos Gabriel, por exemplo, eu pedi, priorizei a contratação dele, mas não conseguimos. Como planejar assim? Não existe planejamento sem verba para disponibilizar. Planejamento não existe quando você perde tantos elementos no mesmo momento, vai tudo por água abaixo - desabafou.

Enquanto não conta com Lucas Lima e Gabigol, que vão jogar a Copa América pela Seleção Brasileira, e com Ricardo Oliveira, machucado. Dorival também não terá os reforços à disposição tão cedo. Além de Rodrigão, que veio do Campinense e pode estrear domingo, Copete e Vecchio, que vieram de fora do país, terão que esperar até o dia 20 de junho, quando abre a janela de transferências, para jogar.

Sendo assim, o treinador quer manter a confiança dos jogadores que já estão no elenco para não ter mais prejuízos na tabela.

- A partir de agora é aguardar pela chegada dos reforços, em segundo momento ver adaptação, condições em que chegam. Você não pluga e acende uma luz, futebol é dinâmico e precisa de muitos pontos coincidirem para contratações serem reforços. Precisamos manter a confiança no grupo e procurar melhorar a produção de maneira coletiva. O que não podemos é perder a confiança desses jogadores, porque aí será um erro ainda maior e com menos possibilidades de recuperação - finalizou.

Além da Seleção Brasileira, Dorival espera que seu trio ofensivo não seja vendido na janela de transferências para a Europa, que abre neste mês.