Russel Dias
12/10/2016
06:00
Santos (SP)

Em 4º lugar no Brasileirão, as chances do Santos voltar a disputar a Libertadores em 2017 são grandes, principalmente após a definição do G6. Contando com isso, o Peixe deu início à busca por reforços pensando na competição Sul-Americana do ano que vem.

Em entrevista ao LANCE!, o superintendente de esportes do Peixe, Dagoberto dos Santos, confirmou a procura por mais de um atacante, um zagueiro e até um lateral.

O que mudou em relação ao ano passado foi o perfil dos jogadores. Para a Libertadores, o Alvinegro quer jogadores mais experientes.

– Existem posições que precisam de reforços porque tem contratos vencendo e vamos avaliar permanências e reposições. Tendo em vista a grande chance de Libertadores, temos que qualificar o grupo em termos de alternativas. Pensamos em contratar, alguns já estão em andamento. A ideia é reforçar com experiência e jogadores “cascudos” – afirmou o dirigente santista, ao L!.

As negociações em andamento, por enquanto, são para o setor ofensivo. Emprestados por Cruzeiro e Flamengo, Joel e Paulinho, respectivamente, não permanecerão na Vila Belmiro em 2017. Para repor e tentar melhorar a qualidade do elenco, Keno, do Santa Cruz, e Vladimir Hernandez, do Junior Barranquilla, da Colômbia, são os alvos.


O primeiro, que pertence ao São José-RS, está em tratativas avançadas. O Santos deve adquirir 60% dos direitos do atacante de 27 anos, com o qual trata tempo de contrato e salários. Com o colombiano, apelidado de Pequeno Gigante, por conta de sua estatura, de 1,60. Um representante do clube vai a Colômbia em breve para negociar com o Junior Barranquilla e com o atleta.

Já na defesa, a necessidade de um zagueiro se deve à lesão de Gustavo Henrique, que não poderá atuar no começo da temporada seguinte. Sobre mais um lateral, a ideia do departamento de futebol é ter cinco laterais, contando que Zeca pode atuar pelos dois lados.

Porém, nem tudo é simples. Para manter a política-econômica do clube, nomes de peso são descartados, mesmo na Libertadores.

– Tem que ter os pés no chão!

"Temos atletas quase contratados", Dagoberto dos Santos


Pela pontuação do Santos, já dá para pensar no planejamento para 2017 com a Libertadores?

Já está em prática, pode ter certeza. Já temos jogadores quase contratados, estamos na frente. Contratamos de acordo com a política salarial. Alguns jogadores poderiam ganhar mais em outros clubes e querem atuar no Santos, mas não vamos contaminar a política salarial do clube. Vamos manter.

O ataque é a prioridade para reforçar o elenco?

O ataque é a prioridade, sim. Talvez um zagueiro e um lateral também venham. Estamos monitorando o mercado. Precisamos de jogadores de beirada, em razão da perda do Geuvânio e do Gabriel.

O Santos fez receita com a venda do Gabriel e com o acerto com o Esporte Interativo. Dá para pensar em gastar mais para se reforçar?

Tem que pensar com os pés no chão. Recebemos recursos, mas ao mesmo tempo temos dívidas. Não dá para investir tudo, tem que pagar dívidas herdadas. Por isso tem que manter os pés no chão. Teremos novidades, sim. Não adianta ter expectativa de um grande nome, a não ser que haja uma grande engenharia financeira. Vamos reforçar, mas vamos continuar usando a base. Vamos precisar de jogadores rodados também e de experiência, jogadores cascudos.Sem abandonar atletas da base.

O clube está fora da Libertadores desde 2013. Dá para entrar na competição para ganhar depois de tanto tempo?

O Santos entra para ganhar qualquer título. Nossa meta no Brasileiro ainda é vencer, esse é o nosso foco.

Está descartada a saída do Lucas Lima no ano que vem?

Não consideramos possibilidade de perda. Para isso que vamos entrar na Libertadores. Vamos manter o time.