Geuvanio

Geuvânio foi revelado na base do Santos e joga no profissional desde 2013 (Foto: Ivan Storti/Lancepress!)

Léo Saueia e Russel Dias
16/01/2016
07:10
Santos (SP)

Não será nesta semana que o Santos vai vender Geuvânio para o Tianjin Quanjian, da China. No momento, a relação entre o Peixe e a equipe chinesa comandada pelo técnico Vanderlei Luxemburgo é de tensão.

Nos bastidores, a diretoria alvinegra está descontente com o fato de Geuvânio já ter aceitado a proposta salarial, que gira em torno de R$ 1 milhão mensais. O Peixe desconfia que o Tianjin Quanjian tenha aliciado o atacante de 23 anos antes de conversar com o clube e cogita ir à Fifa contra o clube.

Porém, os dirigentes do Alvinegro não citam que a ação tenha sido conduzida pelo próprio técnico Vanderlei Luxemburgo, já que o treinador não participa ativamente das tratativas com os atletas.

Embora não tenha gostado da oferta de 11 milhões de euros, cerca de R$ 47 milhões, (o Santos ficaria com R$ 16,45 milhões por ter apenas 35% dos direitos econômicos), o Peixe cobra que o time chinês envie uma proposta formal, algo que, segundo o Alvinegro, não aconteceu.

Representantes do clube chinês, porém, garantem que já enviaram proposta oficial pelo atleta e aguardam posicionamento do Santos.

Diante do atual panorama, em que o próprio atacante gostou do que lhe foi oferecido, o presidente Modesto Roma Júnior já não tem certeza se negaria o montante de R$ 16,45 milhões.

Como o próprio dirigente afirma, “água morro abaixo, fogo morro acima, jogador quando quer ficar e jogador quando quer sair, ninguém segura”. A novela ainda deve seguir.

Confira o comunicado do Santos sobre assédio:


"Com relação ao que vem sendo noticiado nos últimos dias acerca de venda de jogadores do elenco principal do Santos FC, o Clube informa que, até o presente momento, não recebeu nenhuma oferta para transferência de qualquer de seus atletas profissionais. As especulações publicadas na mídia são infundadas.

Vale anotar que eventual clube interessado em ter, em seus quadros, um jogador hoje vinculado ao Santos FC, deverá se abster de aproximação, tratativa ou proposta direta ao atleta, o que configuraria violação ao que está previsto no artigo 17.5. do Regulamento sobre o estatuto e transferência de jogadores da FIFA. Esse artigo proíbe o assédio a jogadores que estejam sob contrato em vigor.

O Santos FC não hesitará em adotar todas as medidas diante da FIFA para preservar seus direitos e proteger seus atletas de assédios ou pressão de quaisquer terceiros visando a rescisão de seus contratos de trabalho."