icons.title signature.placeholder Léo Saueia
icons.title signature.placeholder Léo Saueia
26/08/2015
17:47

Depois de muito tempo dedicando-se apenas à sua saúde, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, ex-presidente do Santos, voltou falar sobre o clube. Presente no lançamento da biografia do ex-jogador e ídolo do Peixe Pepe, na última terça-feira, Laor rasgou elogios ao técnico Dorival Júnior e lamentou sua demissão após as conquistas do Paulista e da Copa do Brasil de 2010.

- Ele tinha um auxiliar que me parecia um sujeito muito rancoroso e que tinha tido um atrito pessoal no vestiário com o Neymar. Eles quase se pegaram. E eu acho que esse auxiliar botava na cabeça dele (Dorival) que tinha que punir o moleque. Mas eu defendia os interesses do Santos - declarou o ex-dirigente. 

Na época, Dorival tinha como auxiliar Ivan Izzo, que acabou seguindo a carreira de técnico também e está sem clube atualmente. 

Durante a partida contra o Atlético-GO pelo Brasileirão de 2010, Neymar e Dorival Júnior discutiram dentro de campo porque o comandante proibiu que o camisa 11 cobrasse um pênalti. No vestiário, a confusão aumentou e Ivan Izzo, Neymar e Edu Dracena tiveram ríspidas discussões. Depois do ocorrido, Neymar foi barrado pelo técnico do jogo contra o Guarani, mas o combinado é que voltaria no clássico contra o Corinthians.

- Multamos o Neymar no salário no máximo que o contrato permitia e o tiramos do jogo em Campinas. Mas na véspera do jogo com o Corinthians, o nome do Neymar não estava na relação. Eu me senti traído. Mas logo em seguida eu me internei, o Dorival me ligou no hospital... Depois, quando fomos jogar contra o Internacional, em Porto Alegre, fui ao vestiário do Inter dar um abraço nele, gosto muito dele - lamentou o ex-presidente, hoje recuperado dos problemas de saúde que o afastaram da direção do Peixe e o fizeram ceder lugar a Odílio Rodrigues - antecessor do atual mandatário, Modesto Roma.

Hoje, porém, com outra diretoria, Dorival voltou ao comando do Alvinegro Praiano e o casamento parece novamente estar dando certo. Segundo Luis Alvaro, a oportunidade que ele dá aos jovens é um grande diferencial, principalmente com os 'meninos' Gabigol e Geuvânio.

- Quando o contratei em 2009, uma de suas grandes virtudes era a força que dava aos jovens. O sucesso no futebol não tem mistério, é investir na base, e foi o que fizemos. O Dorival está dando oportunidade aos jovens novamente, principalmente os meus dois meninos, acho que posso chama-los assim, já que assinaram o primeiro contrato profissional comigo: Gabigol e Geuvânio. O Geuvânio quase que saiu de graça e a gente conseguiu segurar - comemorou o ex-presidente.

Depois de muito tempo dedicando-se apenas à sua saúde, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, ex-presidente do Santos, voltou falar sobre o clube. Presente no lançamento da biografia do ex-jogador e ídolo do Peixe Pepe, na última terça-feira, Laor rasgou elogios ao técnico Dorival Júnior e lamentou sua demissão após as conquistas do Paulista e da Copa do Brasil de 2010.

- Ele tinha um auxiliar que me parecia um sujeito muito rancoroso e que tinha tido um atrito pessoal no vestiário com o Neymar. Eles quase se pegaram. E eu acho que esse auxiliar botava na cabeça dele (Dorival) que tinha que punir o moleque. Mas eu defendia os interesses do Santos - declarou o ex-dirigente. 

Na época, Dorival tinha como auxiliar Ivan Izzo, que acabou seguindo a carreira de técnico também e está sem clube atualmente. 

Durante a partida contra o Atlético-GO pelo Brasileirão de 2010, Neymar e Dorival Júnior discutiram dentro de campo porque o comandante proibiu que o camisa 11 cobrasse um pênalti. No vestiário, a confusão aumentou e Ivan Izzo, Neymar e Edu Dracena tiveram ríspidas discussões. Depois do ocorrido, Neymar foi barrado pelo técnico do jogo contra o Guarani, mas o combinado é que voltaria no clássico contra o Corinthians.

- Multamos o Neymar no salário no máximo que o contrato permitia e o tiramos do jogo em Campinas. Mas na véspera do jogo com o Corinthians, o nome do Neymar não estava na relação. Eu me senti traído. Mas logo em seguida eu me internei, o Dorival me ligou no hospital... Depois, quando fomos jogar contra o Internacional, em Porto Alegre, fui ao vestiário do Inter dar um abraço nele, gosto muito dele - lamentou o ex-presidente, hoje recuperado dos problemas de saúde que o afastaram da direção do Peixe e o fizeram ceder lugar a Odílio Rodrigues - antecessor do atual mandatário, Modesto Roma.

Hoje, porém, com outra diretoria, Dorival voltou ao comando do Alvinegro Praiano e o casamento parece novamente estar dando certo. Segundo Luis Alvaro, a oportunidade que ele dá aos jovens é um grande diferencial, principalmente com os 'meninos' Gabigol e Geuvânio.

- Quando o contratei em 2009, uma de suas grandes virtudes era a força que dava aos jovens. O sucesso no futebol não tem mistério, é investir na base, e foi o que fizemos. O Dorival está dando oportunidade aos jovens novamente, principalmente os meus dois meninos, acho que posso chama-los assim, já que assinaram o primeiro contrato profissional comigo: Gabigol e Geuvânio. O Geuvânio quase que saiu de graça e a gente conseguiu segurar - comemorou o ex-presidente.