Russel Dias
27/10/2016
06:00
Santos (SP)

As críticas têm acompanhado o Santos de diferentes maneiras por conta das recentes atuações, mas poucas podem ser direcionadas à defesa do Peixe. Ao lado do Atlético-PR, o Alvinegro é o time que menos levou gols no Brasileirão: apenas 28 em 32 rodadas.

Além de cumprir seu papel, os zagueiros, principalmente, têm sido exigidos para iniciar as jogadas e muitas vezes até posicionar a linha de defensores no meio de campo, quando o time avança.

De tanto que o técnico Dorival Júnior cobra o toque de bola (até do goleiro Vanderlei, quando necessário), o melhor passador do Brasileirão é um defensor santista: o lateral-direito Victor Ferraz, que já acertou 1556 passes. O segundo é Renato, com 1534 toques certos.

Mas enquanto o time não voltar a repetir as boas apresentações que o levaram à disputa pelas melhores posições da competição, a defesa será apenas uma boa referência.

– Acho que estamos em um nível muito bom. Temos total consciência de que a gente não fez boas partidas e vamos trabalhar bem para vencer esse clássico. Sabemos que o Palmeiras é uma equipe qualificada – destacou Luiz Felipe, o zagueiro que mais atuou pelo Peixe no Brasileiro.

Mesmo equilibrada e tida como consistente, a “cozinha” santista passou por diversas transformações no ano. Em janeiro, o garoto Lucas Veríssimo formou dupla de zaga ao lado de Gustavo Henrique e acabou campeão paulista com David Braz na vaga do mais novo.

Posteriormente, com o camisa 14 tendo que fazer recondicionamento muscular, Luiz Felipe, o último a ser contratado, assumiu o posto de titular, opção mantida mesmo após a liberação de David Braz para atuar.
Por fim, o argentino Noguera estreou com gols e turbinou a concorrência na defesa, além de Gustavo Henrique ter se lesionado gravemente e só poderá voltar em 2017.
,
Para encarar o maior desde a última temporada, é necessário mais do que defensores entrosados. Afinal, se o ataque não funcionar, os zagueiros é que terão que brilhar no clássico mais aguardado da reta final do Campeonato Brasileiro.

Disputa acirrada não faltará.

BATE-BOLA COM LUIZ FELIPE, ZAGUEIRO DO PEIXE:

Os zagueiros do Palmeiras têm, juntos, oito gols no Brasileiro. Você trocaria melhor defesa para ser um defensor-artilheiro?


Prefiro não fazer gols e ser a melhor defesa. Quando der para ajudar na frente, ficamos felizes, mas primeiro o objetivo é não levar gols.

Existe uma preocupação com a cobrança de lateral do Moisés?

A gente sabe que é um ponto importante deles e vamos trabalhar durante a semana para neutralizar isso e não ser preocupação.

É o jogo mais importante do Santos no ano?
A gente sabe que se vencermos podemos ficar em terceiro, sabemos que é um jogo fundamental para as nossas pretensões. Cada jogo é uma final e esse jogo é fundamental.

O Gabriel Jesus merece atenção especial da defesa?

Jogador de muita qualidade. O ataque do Palmeiras é muito bom e temos que estar atentos quanto a isso. Não fizemos boas apresentações recentemente. mas vamos trabalhar.