HOME - Santos x Palmeiras - Copa do Brasil - Gabriel Gabigol e torcida na Vila Belmiro (Foto: Ari Ferreira/LANCE!Press)

Gabigol desperdiçou pênalti, mas se redimiu e marcou o gol da vitória santista (Foto: Ari Ferreira/LANCE!Press)

LANCE!
26/11/2015
00:45
Santos (SP)

Alguns jogadores do Santos deixaram o jogo de ida das finais da Copa do Brasil incomodados com a vantagem aberta diante do Palmeiras ter sido só de 1 a 0. Os principais lances indicados pelo grupo foram o pênalti perdido por Gabigol, antes do próprio camisa 10 marcar o gol da vitória na Vila Belmiro, e também a clara chance perdida por Nílson já no fim. Segundo o autor do tento alvinegro, porém, trata-se de uma boa vantagem para levar ao Allianz Parque.

- Vantagem é vantagem. Três, quatro ou um, como foi. A gente criou, como pode criar lá também. A torcida e a imprensa querem falar que a gente é favorito, mas é clássico, não tem favorito. Agora a gente decide lá. Esse gol que eu marquei vai ficar na história, porque se Deus quiser vamos conseguir ser campeões na casa deles. É manter o foco, os pés no chão, que quarrta-feira tem um jogo difícil e queremos ser campeões - afirmou Gabigol, maior artilheiro da história do Santos na Copa do Brasil, com 14 gols marcados.


Gabigol anotou oito gols na edição de 2015 da Copa do Brasil, e o dado curioso é que ele alcançou o feito nas últimas quatro fases do torneio, contra Sport, Corinthians, Figueirense e São Paulo. Decisivo em todas as fases, o atacante garante não ter se abalado com o pênalti perdido antes de marcar o gol da vitória.

- Agradeço a Deus por esse momento na minha vida. Mas o mais importante é que a torcida compareceu em peso, apoiou e o Dorival me dá confiança. Posso perder três, quatro gols, pênalti, mas o meu foco vai ser o mesmo. Foi emocionante gritarem meu nome, símbolo de que têm confiança na gente - afirmou o camisa 10, assegurando, ainda, que é o batedor oficial de pênaltis do Santos:

- Sou eu sim, faz algumas semanas - afirmou.

Segundo Dorival Júnior, Gabigol é o batedor oficial de pênaltis do Santos desde que Ricardo Oliveira teve uma sequência de quatro pênaltis perdidos no Brasileirão.