Daniel Guedes

Daniel Guedes soma 20 jogos pelo time profissional do Santos desde o ano de 2014 (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

LANCE!
13/11/2015
15:05
Santos (SP)

Aos 21 anos, o lateral-direito Daniel Guedes foi titular do Santos nas últimas seis partidas, sua maior sequência desde que foi promovido ao elenco profissional após o título da Copa São Paulo de Juniores, em 2014. O camisa 38 só teve oportunidades porque o titular da posição, Victor Ferraz, está em fase final do tratamento de uma lombalgia e já é desfalque há nove partidas. Por conta do importante desfalque, Daniel entrou no time e precisou provar que o banco de reservas também conta com boas opões.

Nos últimos seis jogos, curiosamente, o Santos não perdeu nenhuma vez. Foram quatro vitórias e dois empates que levaram a equipe às finais da Copa do Brasil (que serão disputadas nos dias 25 de novembro de 2 de dezembro) e mantiveram no G4 do Campeonato Brasileiro a quatro jogos do fim do ano. Para Daniel Guedes, os resultados são justamente demonstração da força do grupo alvinegro nesta reta final de temporada - inclusive pelo fato de que há quatro jogadores a serviço da Seleção Brasileira atualmente: Ricardo Oliveira e Lucas Lima (no time principal), Gabigol e Zeca (no olímpico).

- Convocações são naturais, consequência do sucesso da equipe. Estávamos desacreditados no começo do ano, ninguém entre os melhores do campeonato, ninguém na Seleção. As coisas mudaram. Ficamos felizes. Espero que não percamos os jogadores por lesões, mas enquanto os desfalques forem por Seleção ficaremos felizes, e espero que sempre aconteça. Perdemos jogadores, mas temos substitutos de alto nível. O Dorival sabe trabalhar isso muito bem - afirmou o lateral-direito de 21 anos.

O Peixe volta a entrar em campo apenas no dia 19, contra o Flamengo, na Vila Belmiro. Será a primeira partida após o intervalo sem jogos para a disputa das Eliminatórias da Copa do Mundo. Depois do Fla, Coritiba, Vasco e Atlético-PR são os adversários pelo Brasileirão e o Palmeiras, duas vezes, na Copa do Brasil. De acordo com o jovem lateral, é momento de não vacilar em nome de uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores.

- Mais difícil é se manter no G4. Chegar várias equipes conseguiram. Mas se manter, só Corinthians, Atlético-MG e Grêmio, que ganharam vantagem, e nós, que brigamos com três ou quatro equipes na cola. Não podemos vacilar - diz o lateral, antes de completar:

- Essa pausa é boa por dar tempo para recuperar e descansar, mais tempo para nos prepararmos para a final. Estamos preparados em busca do objetivo da Libertadores.