LANCE!
25/10/2016
08:59
São Paulo (SP) 

A vitória sobre a Chapecoense deixou o Santos com 99% de chances de voltar à Libertadores no ano que vem, mas isso não tranquilizou o ambiente definitivamente. Pelo contrário, deixou o clássico contra o Palmeiras, no sábado, às 19h30, na Vila Belmiro, com ainda mais cara de decisão.

Como Atlético-MG e Flamengo se enfrentam na mesma rodada, no Mineirão, uma vitória no clássico coloca o Peixe entre os três primeiros, o que garante vaga diretamente à fase de grupos da Libertadores.

Mas como as ambições de Dorival Júnior vão mais adiante e a matemática está favorável, o título do Campeonato Brasileiro ainda é o maior desejo dos santistas em 2016.

Para isso acontecer, os feitos do Santos terão que ser muito maiores do que apenas vencer o Palmeiras.

Nos seis jogos que restam ao Peixe, o time faturou dez pontos nos mesmos confrontos no primeiro turno. Para levantar o troféu no dia 4 de dezembro, a equipe terá que vencer os seis e conquistar os 18 pontos que estarão em jogo.

Se não bastasse superar o próprio aproveitamento, tem que torcer contra o rival que mais vem o incomodando desde a última temporada. O Alviverde poderia vencer apenas três partidas e teria que perder outras três, além de Atlético-MG e Flamengo terem que ficar no caminho.

– Temos seis finais e temos que procurar vencer as seis. Temos que vencer o clássico em casa e se aproximar do Palmeiras para ver o que vai dar no final. Se brigaremos por título ou G3 – disse o goleiro Vanderlei.

Além do Palmeiras, outro confronto direto do Santos na briga pelas primeiras colocações terá o Flamengo como adversário, porém o fator casa não estará a favor. O duelo com o Rubro-Negro será no Maracanã. No primeiro turno, o presidente Modesto Roma vendeu o mando para uma empresa, que escolheu Cuiabá para sediar o jogo e faturar com bilheteria. A maioria nas arquibancadas foi de flamenguistas.

Embora saiba da necessidade de fazer pontos para brigar entre os primeiros, Dorival Júnior quer que o elenco pense em um desafio por vez. Ou seja, antes de fazer contas e até torcer contra, os santistas vão “respirar” o Palmeiras durante toda a semana.

De todas as lições que o Alvinegro tirou dos clássicos contra o Palmeiras no ano passado, tudo que o Peixe quer agora é tirar motivação de uma vitória para avançar na reta final para, depois de 14 anos, surpreender como um campeão.