Dorival Júnior completa marca histórica à frente do Santos

Dorival terá que remontar o time e ficar em alerta com o departamento médico (FOTO: Ivan Storti/SANTOS FC)

Léo Saueia e Russel Dias
08/08/2016
06:00
Santos (SP)

Além de perder o jogo e a liderança do Brasileirão, o técnico Dorival Júnior terá grandes preocupações para a próxima semana, quando o time vai se preparar para receber o Atlético-MG, na Vila Belmiro, domingo, às 16h.

Depois de perder Zeca, Thiago Maia e Gabigol para a Seleção Brasileira, o Peixe não terá Vanderlei e Lucas Lima, suspensos. Ricardo Oliveira, que não jogou no domingo, está com virose e é dúvida para o jogo.

Caso o camisa 9 siga fora do time, será o recorde de desfalques do Santos neste campeonato. O máximo havia sido cinco baixas, diante do Flamengo, também com Lucas Lima e Ricardo Oliveira fora, além do trio de selecionados.

Na ocasião, Oliveira era desfalque por dores no joelho direito, e Lucas por causa de um edema.

A virose, aliás, tem sido uma preocupação para o departamento médico do Alvinegro. Anteriormente, Léo Cittadini foi cortado no vestiário antes do jogo contra o Cruzeiro por causa dos sintomas da virose e teve que ser medicado. Lucas Lima chegou a apresentar sintomas similares ao de gripe, mas não piorou.

A respeito de Lucas Lima, que levou o terceiro cartão amarelo após quatro jogos fora, o técnico Dorival Júnior absolveu o meia de críticas e justificou a queda de rendimento do camisa 20 com o excesso de lesões sentidas no ano.

– Temos que analisar de forma diferente. Ele foi o melhor jogador do Paulista, vinha rendendo bem, entra no Brasileiro e sofre três lesões nesse período. É impossível produzir com três lesões, temos que dar tempo ao tempo. Mas até então vinha sendo um dos grandes jogadores do Santos, convocado para a Seleção. Impossível render assim – disse o treinador em defesa do meia, que deve dar lugar a Jean Mota.