Léo Saueia e Russel Dias
01/09/2016
07:10
São Paulo e Santos (SP)

Depois de diversas semanas apreensivo, o torcedor do Santos pode, enfim, respirar aliviado. Mesmo lamentando a saída de Gabigol para a Inter de Milão, o santista agora tem uma certeza: quais jogadores estarão à disposição para seguir brigando por uma vaga na próxima Libertadores.

Mas é justamente na negociação de Gabigol que a diretoria alvinegra se apoia para manter o bom ambiente e os jogadores focados em atingir os objetivos no clube.

Dos R$ 99,3 milhões pagos pela Inter de Milão, o Peixe inicialmente teria direito a R$ 63,8 mi. Com o repasse de 20% à Doyen, ficará com aproximadamente R$ 52 milhões em seus cofres. O valor já tem destino certo nas mãos do presidente.

Ainda em débito de um mês com os direitos de imagem do elenco, Modesto Roma Júnior pretende utilizar a verba a ser recebida pelo ex-camisa 10 para sanar dívidas e garantir as contas em dia pelos próximos meses. A "manobra", aliás, será utilizada para que os jogadores mantenham o foco exclusivamente no objetivo, que é voltar a disputar a Libertadores em 2017.

Com o elenco enfim definido, o técnico Dorival Júnior poderá trabalhar a formação que mais lhe agrada, que deve incluir a entrada do colombiano Copete no ataque. 

Além de evitar preocupações extracampo, o Santos e a própria torcida esperam os jogadores concentrados. Já que a próxima janela de transferências para a Europa reabre apenas no fim da temporada brasileira, não há mais motivos para tratar de negociações no CT.

O meia Lucas Lima é a personificação do Peixe em relação às "novelas". Há tempos o novo camisa 10 declara em seguidas entrevistas que deseja uma transferência e, com a queda do nível de atuações, tem gerado insatisfação por parte da maioria da torcida alvinegra, que inclusive foi contra a nomeação do maestro como camisa 10.

Possibilidades e frustrações, a partir de agora, não têm mais espaço no CT Rei Pelé. É hora de retomar posições e voltar a sonhar!