Gabriela Brino
12/02/2017
13:17
São Paulo (SP)

Com um erro crasso da arbitragem, o Santos venceu o Red Bull Brasil por 3 a 2, na manhã deste domingo, no estádio do Pacaembu.  Um lance aos 47 minutos do segundo tempo determinou o resultado a favor do Peixe, uma vez que o árbitro Rafael Gomes da Silva não viu o santista Kayke desviar a bola com o braço e errou ao validar o lance sem mesmo a bola ter passado pela linha do gol de Saulo.  

O goleiro que defendeu time da Vila Belmiro nas entre 2004 e 2006 afirmou que o próprio juiz reconheceu a falha após o apito final. 

-  É simples. A bola não entrou. Não alegamos nada. Acredito que o árbitro fez uma grande arbitragem, mas talvez se fosse ao contrário, ele não erraria. Ele não viu, quem validou foi o assistente. Mas agora pediu desculpa falando que realmente a bola não entrou. Mas não adianta, não vai trazer os três pontos de volta - afirmou o jogador do Red Bull  no fim da partida. 


O resultado acabou sendo um grande castigo para o time de Campinas. Apesar  de terminar o primeiro tempo em desvantagem, com 2 a 1 no placar, o Red Bull foi superior ao Santos na segunda etapa e, com maior posse de bola, conseguiu chegar ao empate com Nixon, ex-Flamengo. 

A atuação do Santos, no entanto, liga o sinal de alerta ao técnico Dorival Júnior. Sem poder contar com os titulares Ricardo Oliveira, Renato e Vanderlei, o Peixe não conseguiu impor o mesmo desempenho que teve contra o Linense e sofreu com disposição tática diferente e forte calor no estádio do Pacaembu. 

Apesar disso, o time começou bem e era possível notar boa integração entre Zeca, Lucas Lima e o capitão Victor Ferraz. Tanto que, aos 15 minutos, o lateral-direito cruzou na medida para Vitor Bueno balançar as redes. 

 Aos 22 minutos, após cobrança de escanteio do Toro Loko, Lucas Lima aproveitou a sobra na entrada de área, deixou dois marcadores para trás e viu Vitor Bueno em boa posição. Saulo conseguiu afastar o perigo.   

Depois de Rodrigão desperdiçar uma chance inacreditável, Red Bull chegou ao gol de empate.  Lucas Lima foi desarmado por Nando Caradina, que lançou Misael. O atacante ganhou na corrida de Thiago Maia e tocou na saída do goleiro Vladimir.

Antes de ir para o intervalo, o Santos voltou a balançar as redes. Depois do erro e assistência de Lucas Lima, Rodrigão se redimiu e, entre dois defensores, tocou na saída de Saulo: 2 a 1 para o Peixe.

O Red Bull foi superior na segunda etapa e chegou a ter 53% da posse de bola, segundo o Footstats. E, após quatro minutos depois de o técnico Alberto Valetim colocar Nixon em campo, o atacante empatou a partida depois da cobrança de falta de Denner. 

Mas, quando o empate parecia definir o placar, o árbitro Rafael Gomes da Silva se tornou o protagonista por validar o gol inexistente do santista Kayke. Uma manhã pra lá de perturbadora e polêmica no Pacaembu...

FICHA TÉCNICA
RED BULL BRASIL 2 X 3 SANTOS

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/ Hora: 12/02, às 11h
Árbitro: Rafael Gomes da Silva
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon e Fabricio Porfírio de Souza.
Público/ Renda: 20.412 pagantes/ R$ 747.515
Cartões amarelos: Fellipe Souto (RB Brasil); Yuri, Copete, Lucas Veríssimo (SAN)
Gols: Vitor Bueno, aos 15'/1T (0-1); Misael, aos 28'/1T (1-1); Rodrigão, aos 48'/1T (1-2); Nixon, aos 36'/2T (2-2); Kayke, aos 47'/2T (2-3)

RED BULL BRASIL: Saulo; Bruno Ferreira (Lucas Taylor, aos 18'/1T), Willian Magrão, Luan Peres e Thallyson; Alison (Denner, aos 23'/2T), Fellipe Soutto, Nando Carandina e Elvis (Nixon, aos 32'/2T); Misael e Elton. Técnico: Alberto Valentim.

SANTOS: Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Yuri e Zeca; Thiago Maia, Leandro Donizete (Léo Cittadini, aos 13'/2T) e Lucas Lima; Vitor Bueno (Kayke, aos 37'/2T), Copete e Rodrigão (Bruno Henrique, aos 27'/2T). Técnico: Dorival Júnior.