Léo, Guerreiro da Vila

Léo é o maior campeão pelo Santos depois da Era Pelé (FOTO: Ricardo Saibun)

LANCE!
22/06/2016
18:54
Santos (SP)

22 de junho de 2011. Há exatos cinco anos, o Santos conquistava pela terceira vez a Copa Libertadores da América após vencer o Peñarol, do Uruguai, pelo placar de 2 a 1, em um estádio do Pacaembu lotado.

Dois atletas que participaram daquele momento histórico, o ex-lateral Léo e o volante Adriano relembram com carinho o dia em que o Alvinegro novamente levantava a taça mais importante do futebol sul-americano.

- O Santos não ganhava a Libertadores desde 1963. Além disso, em 2003, chegamos à final, mas perdemos para o Boca Juniors. Por isso, aquele título de 2011 foi muito importante e especial para mim. Ver o Pacaembu abarrotado de santistas, chorando de alegria, é uma cena que jamais irei esquecer - declarou o Guerreiro da Vila, que conquistou outros sete títulos pelo clube praiano, o que lhe garante a condição de maior campeão após a chamada Era Pelé, encerrada em 1974.

Sobre a decisão, o ex-camisa 3 ainda se recorda da atuação do Peixe na partida diante do Peñarol, no Pacaembu.

- Nosso elenco era muito bom, com o Neymar voando, além do comando do Muricy Ramalho. Após o empate no primeiro jogo por 0 a 0, em Montevidéu, a gente entrou em campo focado, sabendo que não poderia errar. Fizemos um grande jogo e o título foi mais que merecido - acrescentou. 

Um dos dois atletas que participaram de todos os 14 jogos da campanha vitoriosa, ao lado do goleiro Rafael, o volante Adriano também comenta sobre a importância do título em sua carreira.

- Eu fui revelado pelo Santos e sempre tive que provar que tinha condições de permanecer em um elenco recheado de estrelas. Fico muito feliz por ter entrado para o a história do clube. Saí do Santos há mais de três anos, mas até hoje os torcedores me tratam com carinho e se recordam da Libertadores de 2011. É um marco em minha carreira e também na minha vida - afirma o meio-campista que disputou o Paulistão deste ano pelo Novorizontino.