Léo Saueia e Russel Dias
29/05/2016
07:00
Santos (SP)

Morar sozinho aos 21 anos, cuidar da casa, pagar o próprio carro... O que é sonho paga muitos jovens nessa idade, não chega nem a ser a maior das preocupações do meia Vitor Bueno. Isto porque ele tem agora a maior responsabilidade de sua vida: ser o protagonista do Santos na ausência de Lucas Lima, Oliveira e Gabigol.

Depois da experiência sem o trio contra o Figueirense, fora de casa, a tarefa de Vitor na Vila Belmiro será dada pela primeira vez neste domingo, às 18h30, diante do Internacional, pela quarta rodada do Brasileirão.

– Com certeza é a maior responsabilidade da minha vida vestir a camisa do Santos – diz Vitor Bueno em entrevista ao LANCE!, comparando com suas outras responsabilidade de “dono de casa”.

Apesar de tímido, o meia não esconde que os trabalhos mais difíceis são fora do campo. Para ele, gol de fora da área é fichinha perto de ter que cozinhar. E por isso, ajuda é mais que bem vinda na hora de matar a fome quando está sozinho.

– Eu almoço no Santos, sempre. À noite eu peço alguma coisa, saio para comer com os jogadores, ou minha mãe faz ajuda quando vem me visitar. Não sei cozinhar, no máximo sai um miojinho – admite.

Por falar em gol de fora da área, Bueno revelou que o chute de longa distância é uma de suas especialidades. No último jogo na Vila Belmiro, contra o Coritiba, foi dos pés dele, em cobrança de falta, que saiu o empate do Peixe, que mais tarde foi buscar o resultado para levar os três pontos.

– Fiz bastante gols de falta no Monte Azul. Sempre gostei de bater falta. De todos os tipos: lateral, frontal... Agora estou me adequando um pouquinho, estou chegando agora, tem que respeitar quem já estava antes – comenta, sobre outros batedores que tem no time, como Ferraz.

Modéstia à parte, Vitor Bueno sabe que, com o bom futebol apresentado, a cobrança da torcida, que espera bons passes e chutes, aumenta a cada jogo sem Lucas Lima, Ricardo Oliveira e Gabriel. Se prepara, Vitor, a Vila Belmiro lhe espera, de novo.

“Prefiro chamar a atenção dentro de campo”

Confira o bate-bola com Vitor Bueno:

Há alguns meses você estava na base. Já se vê pronto para ser titular no lugar do Lucas Lima?


São três desfalques importantes que o Santos tem. Vão fazer falta, mas temos que suprir essa ausência. Tento me adequar ao máximo para não deixar a desejar. Time grande é pressão. Responsabilidade aumenta, mas temos grande jogadores para suprir a falta deles.

Como encara o protagonismo?

Não entro em campo pensando em fazer o gol para resolver. Somos um grupo, independente de quem faça o gol, prevalece o espírito da equipe.

Você tem um estilo diferente dos outros jogadores. Não tem tatuagens. Prefere chamar a atenção dentro de campo do que fora?

Prefiro chamar a atenção dentro de campo, sim. No interior não tem muito dessas coisas.. Aqui que tem mais isso de tatuagem e brincos. Não gosto muito. Uma vez falei para minha mãe que ia colocar um brinco e ela quase me matou. Gosto de cabelo cortado e com pézinho feito! (risos).