Léo Saueia
20/07/2016
06:55
São Paulo (SP)

Em Brasília, capital do país e terra da política brasileira, as eleições convocadas para esta quarta-feira não envolvem o Congresso Nacional, mas sim a equipe titular do Santos.

Com a convocação de Zeca, Thiago Maia e Gabigol para servirem ao "exército brasileiro" na Olimpíada, novas eleições foram convocadas pelo presidente em exercício Dorival Júnior para definir três novos políticos na equipe que enfrenta o Gama nesta quarta, às 21h45, no Bezerrão, pela Copa do Brasil.

Um dos eleitos foi o volante Yuri, político ainda em ascensão que espera mostrar ser diferente e aumentar sua popularidade com a desconfiada torcida alvinegra.

Com até seis jogos no cargo de titular - caso o Brasil chegue à final da Olimpíada -, Yuri sabe o que fazer para não virar motivo de impeachment do eleitorado santista: seguir os mesmos passos do antecessor.

- Acho que não é muito diferente, não. Eu vendo o Thiago jogar acho que ele chega mais na frente, tem essa força de chegara à frente. Como eu vinha com o Diniz (técnico do Audax), jogava mais atrás, até prefiro vir jogando mais de trás. Mas não vejo muita diferença, já joguei até de meia. Vai ser tranquilo - disse o camisa 25, em entrevista ao LANCE!

O jogo desta quarta, aliás, será a cerimônia de posse de Yuri, já que o jovem será titular pela primeira vez em sua posição de origem desde que foi contratado, após o Paulistão.

Mesmo sendo o responsável pela soma dos votos, o presidente Dorival Júnior sabe que corre o risco de perder o entrosamento de sua chapa. Com três ausências, os eleitos ainda precisarão se adaptar. Como bom político, entretanto, Yuri diz que o problema será facilmente contornado.

- Eu acho que isso não vai fazer muita diferença. Nosso elenco está forte, a gente está bem focado, e tenho certeza de que quem entrar vai dar conta do recado - discursou.

Em Brasília ou não, o Congresso santista parece estar em boas mãos.

Confira um bate-bola exclusivo com o volante Yuri:

Ansioso pela primeira oportunidade como titular na sua função?
Eu estou bem tranquilo. Como falei, estou à disposição do professor Dorival. Se eu for jogar realmente, vou aproveitar ao máximo e tentar ajudar.

Com a convocação do Thiago, você pode ter uma sequência. Qual a importância de estar atuando?
Acho que para todo jogador é importante estar jogando. E com a ida do Thiago abriu essa oportunidade. Então acho que é aproveitar agora.

Gama precisa vencer por causa do calendário. Como segurá-los?
Acho que isso vai ser um algo a mais nesse jogo. O Santos é time grande, sempre vamos buscar a vitória, e vai ser isso lá. Vamos lá para dar nosso melhor e buscar a vitória.