Léo Saueia
24/09/2016
07:10
São Paulo (SP)

Primeiro, a sequência de lesões. Depois, convocações para a Seleção e a ânsia por atuar na Europa. Agora, para manter o foco, Lucas Lima precisa lutar contra a expectativa causada pela possível renovação de seu contrato.

Para isso, o meia estará praticamente em casa neste sábado, às 18h30, diante do Sport, pela 27ª rodada do Brasileirão. Afinal, foi na Ilha do Retiro que ele fez as malas para a Vila Belmiro, no início de 2014.

O novo camisa 10 santista, que herdou a numeração com a saída de Gabigol, negocia estender seu contrato com o clube por três temporadas. Seu agente e o presidente Modesto Roma Júnior querem estabelecer uma cláusula de saída de 15 milhões de euros (R$ 54,5 milhões) e assinar até a metade de 2020.

Se nos outros "conflitos" extracampo o meia se deixou abater e caiu bruscamente de rendimento, contra a renovação ele tenta se blindar e manter a concentração em campo.

Apesar do esforço nos últimos jogos, a imagem do maestro ainda está arranhada com a maioria dos torcedores. Há quem entenda que o jogador "forçou a barra" para ir embora.

Para fazer as pazes de vez com a torcida, que ainda sonha com o título brasileiro, Lucas Lima tem a missão de reger o time para findar um tabu: o Peixe não vence o Sport na Ilha desde o Brasileirão de 2009 - fez 1 a 0, gol do meia Felipe Azevedo. 

Lucas Lima no Sport
Lucas Lima disputou Série B no Sport em 2013 (Crédito: Divulgação)

Como combustível, o camisa 10 tem boas lembranças do estádio. Em sua primeira visita à Ilha do Retiro após acertar com o Santos, Lucas balançou a rede no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil e espera repetir o feito no duelo deste sábado.

- O gol, fiquei feliz de marcar. Sempre bom fazer gol. É meio estranho marcar contra o Sport, que me recebeu bem, mas fiquei feliz. Tenho lembranças aqui que me marcaram. Nada se compara com a festa do acesso (à Série A), nunca vi coisa parecida, multidão nas ruas, isso vai ficar marcado. O Sport é muito grande e sua torcida é maior ainda - recordou, em entrevista coletiva.

Para alcançar os três pontos e seguir forte na caça aos líderes, o Santos sabe que só a vitória interessa.

- Sei que o Sport não está onde queria, mas tem nosso respeito. Vamos entrar ligados para não repetir experiências anteriores - completa.

Nada como estar em casa, não é?