Gustavo Vieira

Gustavo Vieira não é mais executivo de futebol do Santos (Foto: Ivan Storti)

Gabriela Brino
21/02/2018
06:00
Santos (SP)

Gustavo Vieira foi oficialmente desligado do cargo de executivo de futebol do Santos. Mas o que gerou sua demissão? Quem irá substituí-lo? Como a decisão foi tomada? O LANCE! conta um pouco dos bastidores da demissão do filho de Sócrates e sobrinho de Raí.

Pessoas próximas à presidência afirmam que Gustavo Vieira não deixava a desejar na área do futebol, ou seja, na área técnica com Jair Ventura e sua comissão, mas sim na parte administrativa, como negociações e contratações. A falta do jogo de cintura e a lentidão em fechar acordos não agradava a diretoria. O comitê gestor se dividiu perante a permanência e desligamento de Gustavo.

O executivo de futebol já se mostrava descontente com o modo de trabalho do mandatário há algum tempo. Os atritos entre Gustavo e Peres durante as negociações foram frequentes e Peres, segundo ele, não mantinha sua palavra e mudava de opinião repentinamente. À noite assinava um contrato. Na manhã seguinte pedia para rasgá-lo.

O estopim para que Peixe quebrasse vínculo com Gustavo foi a matéria publicada pelo "Globoesporte", que revelou algumas situações delicadas com o presidente José Carlos Peres. O Alvinegro crê que as informações foram vazadas pelo executivo de futebol e que a exposição do clube foi desnecessária. Horas depois Gustavo foi desligado de sua função.

A publicação, inclusive, revelou que o cartola dava ouvidos a uma pessoa fora do departamento de futebol. Daniel Bykoff, um dos membros do departamento jurídico do Santos, foi responsável por intervir em situações anteriormente resolvidas e definidas por Gustavo e Peres.

Um dos episódios que abriu os olhos de Gustavo foi quando quis dar andamento nas contratações do técnico Jair Ventura e sua comissão Ednilson Sena, Emilio Faro e Antônio Macedo. O quarteto estava apalavrado e já havia iniciado os trabalhos, mas ainda não tinha assinado. Sabendo do atraso,G ustavo pegou seu carro e os levou até a Vila Belmiro e acionou Peres para finalizar a contratação. Após conversas, moldes contratuais aceitos e assinados pelas partes, Bykoff afirmou que seria necessário rever algumas cláusulas e até refazer outras, atrasando novamente a situação.

Sem Gustavo, o gerente William Machado será o principal membro do departamento de futebol e será mantido pela diretoria, que se mostra satisfeita com seus trabalhos. Um dos nomes cotados para substituir Gustavo é o de Sergio Dimas, hoje no Red Bull. A ideia é promover o seu retorno logo após o fim do Campeonato Paulista.