Léo Saueia e Russel Dias
04/11/2016
06:05
São Paulo e Santos (SP)

O sonho do Santos para a próxima temporada atende pelo nome de Alejandro Guerra. Como revelado pelo LANCE! na última quarta-feira, o Peixe congelou outras negociações no mercado para priorizar a contratação do venezuelano que atua no Atlético Nacional (COL), atual campeão da Libertadores.

No entanto, se o Alvinegro teme pela concorrência no fim do ano, quando as equipes vão priorizar o mercado, é preciso mais agilidade. Dirigentes do Atlético confirmam a existência de oferta de um clube europeu e afirmam que os contatos com o Santos estão paralisados desde a última proposta recusada, ainda antes da final da Libertadores deste ano.

– Por enquanto, ainda não há nenhuma oferta de clube brasileiro por Guerra. O único contato que temos é de um clube europeu que nos pediu sigilo. Estamos conversando e vendo se o negócio avança. Com o Santos não há nada além de uma outra oferta no passado – afirmou Victor Marulanda, diretor do Atlético, ao LANCE!.

O preço fixado pelo meia de 31 anos é de aproximadamente R$7 milhões. Apesar de estar disposto a investir pelo reforço que caiu nas graças do técnico Dorival Júnior com parte do montante da venda de Gabigol e com o adiantamento do Esporte Interativo, o Santos ainda tenta diminuir as exigências colombianas.

O Peixe sabe que dificilmente terá condições de disputar com clubes europeus e até brasileiros. Por isso, tem pressa para solucionar a equação financeira e acertar seu segundo reforço para a próxima temporada - colombiano Vladimir Hernandez já está acertado com o clube.

Outro nome que ainda agrada à diretoria santista é do atacante Ibarguen, de 24 anos. Também jogador do Atlético Nacional, ele está no radar e é discutido entre as duas diretorias, mas não é tratado com a mesma prioridade que tem Guerra.

Caso a negociação com o venezuelano não se encaminhe, o Santos deve correr para um plano B. Ou mais de um. Os jovens Clayson, da Ponte Preta, e Everton Felipe, do Sport, também foram oferecidos, mas a diretoria congelou as tratativas por entender que o foco deve ser todo dedicado a Alejandro Guerra.