Bernardinho - Seleção Masculina de Vôlei

Bernardinho vive situação complicada com a Seleção (Foto: Divulgação/FIBV)

Daniel Bortoletto
14/08/2016
15:55
Rio de Janeiro

A Seleção Brasileira masculina de vôlei estará em quadra, nesta segunda-feira, às 22h35, contra a França, para evitar repetir a pior participação olímpica da história.

Em caso de eliminação, o Brasil terminará em nono lugar, mesma posição obtida na Cidade do México, em 1968. Para seguir na briga por medalhas, basta vencer os franceses no Maracanãzinho. Em caso de derrota, ainda terá chances de avançar dependendo de uma combinação de resultados (veja mais abaixo).

Após quatro rodadas, o Grupo A tem a Itália já classificada com 12 pontos. Brasil, França, Canadá e EUA estão todos com seis pontos. Dos quatro três passarão para as quartas de final.

- Nós estamos sob pressão, com a expectativa natural das pessoas por medalhas, e temos um tempo curto para voltar à quadra. Se tivermos medo de morrer, não vai dar certo. Vamos com coragem de encarar e vencer - disse Bernardinho.

Para o oposto Wallace, o Brasil não deve pensar em matemática:

- Vamos encarar um time forte, que é a França, mas só depende de nós mesmos. Vamos fazer de tudo para buscar a vitória e conseguir a classificação. Esse é o único pensamento

Bernardinho esteve à frente da Seleção nas últimas três Olimpíadas e em todas elas conquistou medalhas - ouro em Atenas-2004 e prata em Pequim-2008 e Londres-2012. Neste ciclo olímpico, sofreu com falta de resultados expressivos e com dificuldades para renovar o elenco. Tanto que resgatou o líbero Serginho Escadinha, no ano passado, então com 39 anos, deu chance para William, levantador de 37, para o oposto Evandro (34), para o central Eder e para o ponta Lipe (32). Já Murilo e Sidão, outros pilares da Seleção, sofreram com lesões e ficaram fora. Ontem, Bernardinho citou o caso do ponta, melhor jogador nos Mundiais de 2010 e nos Jogos de Londres-2012.

- Jogo hoje é de vigor físico e temos que ter gente com vigor. Gostaria muito de ter o Murilo, mas ele não estava em condição. Em 13 partidas jogou duas - comentou o técnico.

MATEMÁTICA PARA A CLASSIFICAÇÃO

* Ganhar da França, sem se preocupar com os demais resultados do grupo

* Se a Itália bater o Canadá por 3-0 ou 3-1, Brasil pode perder para a França por 3-2

* Se os Estados Unidos perderem para o México por 3-2, Brasil pode perder para a França no tie-break

* Se o México ganhar dos Estados Unidos por 3-0 ou 3-1, Brasil também pode perder para a França por 3-2