Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan (foto:Fred Hoffmann)

Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan (foto:Fred Hoffmann)

RADAR/LANCE!
27/02/2016
17:06
San Isidro (ARG)

 As velejadoras Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan ficaram muito próximas de conquistar uma medalha no Mundial de 470, disputado em San Isidro, na Argentina. Neste sábado, elas competiram na regata da medalha e encerraram a competição na quarta posição na classificação geral, apenas quatro pontos atrás das austríacas bicampeãs mundiais Lara Vadlau e Jolanta Ogar, que ficaram com o bronze. O resultado expressivo dá moral para as brasileiras rumo aos Jogos Olímpicos Rio 2016.

- Ficamos muito felizes com o resultado. Estivemos sempre no grupo da frente nas regatas, numa flotilha com 40 barcos. Isso mostra nosso potencial. Ainda temos uma margem de melhora em alguns aspectos táticos e de desenvolvimento de velocidade. O que nos deixa animadas para seguir trabalhando até os Jogos. Nossa caminhada está indo bem e os próximos eventos vão completar nossa preparação - afirmou Fernanda, medalha de bronze nos Jogos de Pequim-2008 na classe 470.

 As brasileiras terminaram a regata da medalha na quarta posição, somando 66 pontos perdidos no geral. Vadlau e Ogar ficaram com 62. A medalha de prata foi para as neozelandesas atuais campeãs olímpicas Jo Aleh e Polly Powrie, com 57, enquanto o ouro ficou com as francesas Camille Lecointre e Helene Defrance, com 54. A outra dupla brasileira na competição, Renata Decnop e Larissa Juk, terminou em 28º, com 185 pontos perdidos.

 Entre os homens, Geison Mendes e Gustavo Thiesen ficaram em 19º, com 161 pontos perdidos; Alexandre Muto e Felipe Brito terminaram em 40º, com 334; e Eduardo Chapchap e Alberto Chapchap foram 42º, com 363. A medalha de ouro foi para os croatas Sime Fantela e Igor Marenic; a prata para os neozelandeses Paul Snow-Hansen e Daniel Willcox; e o bronze para os franceses Sofian Bouvet e Jeremie Mion.

 Classificados para os Jogos Olímpicos Rio 2016, Henrique Haddad e Bruno Bethlem optaram por ficar no Rio treinando com outros velejadores estrangeiros, pois a competição na Argentina era em água doce e em condições muito diferentes das que são encontradas na Baía de Guanabara.


MUNDIAL DE RS:X


 Também neste sábado foram realizadas as regatas da medalha do Mundial de RS:X, em Eilat, em Israel. A disputa, no entanto, não contou com a presença de brasileiros. Classificada para os Jogos Olímpicos, Patricia Freitas encerrou a competição na 17ª posição, com 124 pontos perdidos. Bruna Martinelli foi a 31ª. A medalha de ouro foi para a polonesa Malgorzata Bialecka; a prata para a britânica Bryony Shaw, agora três vezes vice-campeã mundial; e o bronze para a holandesa Lilian de Geus.

 Entre os homens, Ricardo Winicki, o Bimba, também classificado para os Jogos Olímpicos, ficou em 28º, com 158 pontos perdidos. Gabriel Bastos foi o 72º. Assim como no feminino, a disputa masculina também teve a Polônia no topo do pódio, com Piotr Myszka. Campeão olímpico em Londres-2012, o holandês Dorian Van Rijsselberge ficou com a prata. O bronze foi para o também holandês Kiran Badloe.


A EQUIPE BRASILEIRA DE VELA NOS JOGOS RIO 2016

Laser: Robert Scheidt
Laser Radial: Fernanda Decnop
49er: Marco Grael e Gabriel Borges
49erFX: Martine Grael e Kahena Kunze
Finn: Jorge Zarif
470 feminina: Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan
470 masculina: Henrique Haddad e Bruno Bethlem
Nacra 17: Samuel Albrecht e Isabel Swan
RS:X feminina: Patricia Freitas
RS:X masculina: Ricardo Winicki, o Bimba