Marcelo Laguna e Rafael Valesi
17/08/2016
22:35
Enviados especiais ao Rio de Janeiro (RJ)

Não deu nem graça para os rivais. O jamaicano Usain Bolt voltou a sobrar na pista do Engenhão nesta quarta-feira, durante a semifinal dos 200 m. Em busca de alcançar uma marca inédita na história das Olimpíadas e conquistar três ouros em três Jogos seguidos, Bolt venceu com folga, cravando seu melhor tempo nesta prova em 2016, com 19s78. 

Para melhorar a vida do jamaicano na final, marcada para esta quinta-feira, ele viu a eliminação de dois de seus maiores rivais nas provas de velocidade do atletismo mundial nos últimos anos. O americano Justin Gatlin e o compatriota Yohan Blake ficaram pelo caminho e não conseguiram vaga na final.

Gatlin, medalha de prata nos 100 m no último domingo, ficou somente em terceiro na sua série, com 20s13, sendo superado pelo panamenho Alonso Edward (20s07) e pelo holandês Churandy Martina (20s10). Pior situação  foi a de Blake, apenas sexto colocado com 20s37.

Em sua série semifinal, a presença de Usain Bolt voltou a agitar o público que compareceu ao Engenhão, em menor número do que na final dos 100 m. Em sua prova preferida, na qual ele diz sonhar em bater o recorde mundial nesta Olimpíada, Bolt correu com tranquilidade e nos metros finais, visivelmente tirou o pé, até sorrindo para o canadense Andre de Grasse, que ficou em segundo, com 19s80.

- Fiquei muito feliz com a minha marca e estou confiante para a final, para alcançar o meu objetivo de sair com três ouros desta Olimpíada - disse Bolt, que ainda comentou o que foi a brincadeira entre ele e Andre de Grasse nos metros finais da prova.

- Ele parecia estar aumentando o ritmo, aí eu disse "O que você está fazendo, isto é uma semifinal". Mas na verdade ele me pressionou e me empurrou para forçar mais. Estava um pouco preguiçoso - admitiu o jamaicano.

A final dos 200 m rasos está marcada para esta quinta-feira, a partir das 22h30.