Isaquias e Erlon na segunda

Jesus Morlán, espanhol que treina a equipe brazuca de canoagem, diz que Isaquias terá de aprender a se adaptar a uma nova responsabilidade, pois tornou-se um ídolo olímpico (Carlos Alberto Vieira)

CARLOS ALBERTO VIEIRA
20/08/2016
20:37
Rio de Janeiro (RJ)

Técnico da equipe brasileira de canoagem, o espanhol Jesus Morán tem uma preocupação com Isaquias Queiroz. Ele teme que o brasileiro, muito jovem, possa se entusiasmar com a fama e diz que a sua primeira ação será ter uma conversa com o medalhista neste domingo - antes de iniciar férias na Colômbia -  para mostrar que o atleta não pode perder o rumo com o sucesso.

- Será um papo fora do padrão da canoagem. Darei conselhos pois ele tem de estar preparado. Eu não sei se o Isaquias já passou por isso, mas eu sim , com outro atleta na Espanha que ganhou um ouro e deslumbrou-se. É fácil errar nesse momento.  Mas quando se ganha relevância, há de se responder a esta responsabilidade. O ajudarei com a minha experiência.

Morlán, contratado em 2013, ainda não sabe se permanecerá no cargo.

- Sempre me recusei a falar se fico ou não. Sou supersticioso e acho que se falo de futuro não tenho sucesso. Agora que os jogos acabaram, posso dizer que  apenas um projeto bem analisado justificará ficar mais um ciclo. Mas quero ficar e só isso ocorrer já garanto que mudarei a equipe do C2, pois entrará o Roni para fazer dupla com o Erlon e o Isaquias fica nas provas individuais.