Medina tieta Arthur Zanetti em visita à Vila Olímpica (Foto: Alexandre Castello Branco/COB)

Medina tieta Arthur Zanetti em visita à Vila Olímpica. O primeiro terá a chance de disputar os Jogos Olímpicos daqui a quatro anos (Foto: Alexandre Castello Branco/COB)

LANCE!
03/08/2016
17:09
Rio de Janeiro (RJ)

O Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou nesta quarta-feira a inclusão de surfe, skate, caratê, beisebol/softbol e escalada no programa dos Jogos de Tóquio (JAP), em 2020. A decisão foi sacramentada durante a 129ª sessão da entidade, no Rio de Janeiro.

Oito esportes estavam na lista de indicados pelo comitê executivo. Boliche, squash e wushu (arte marcial) ficaram fora.

Com a decisão, haverá um aumento de 18 provas e de 474 atletas, sendo 210 mulheres e 246 homens na disputa do megaevento. No Rio, são 306 provas sendo 136 de mulheres, 161 de homens e nove mistas.

- Eu sempre sonhei em representar o Brasil no surfe, mas nunca existiu uma competição entre países. Também sempre sonhei com as Olimpíadas, mas nunca aconteceu de termos surfe. Seria um sonho poder vestir a lycra verde-e-amarela e poder conquistar uma medalha olímpica. Vou tentar realizá-lo em 2020 - disse o atual campeão mundial do WCT, Adriano de Souza.

O skate, por exemplo, terá duas modalidades (street e park), tanto no masculino como no feminino. O beisebol será disputado apenas no masculino. O softbol é a versão feminina.

O caratê deve ser dividido em duas categorias: kata e kumite (a última com três classes de peso diferentes). A modalidade terá oito disputa por medalha.

Dos cinco esportes, o beisebol é o único que já integrou o programa olímpico, no período entre 1992 e 2008, além dos Jogos de 1964, em Tóquio.